Meu compromisso com cada pai maranhense

Carlos Brandão

Desde 1992, agosto passou a ser de certo saudosismo para mim. Passei a encarar o Dia dos Pais sem a presença do meu, que há 29 anos foi chamado pelo Senhor, deixando um legado de respeito, honestidade e probidade.

Nascido em Colinas, meu velho Carlos Orleans Brandão, formado médico no Rio de Janeiro, voltou para a cidade natal e se dedicou à prática da medicina para o povo sertanejo. Atuou de forma filantrópica durante muito tempo. Foi prefeito de São Domingos, deputado estadual por dois mandatos, professor universitário, secretário de Saúde do Estado e encerrou a sua trajetória profissional, de muito trabalho, como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Mas esses são apenas alguns trechos da história. Aqueles que muitos conhecem. Na intimidade, era ainda mais exemplar. Ajudou a construir, em mim, uma personalidade de amor ao próximo e de dedicação extrema àquilo que defendia. E eu defendo o Maranhão e a nossa gente. Tanto quanto meu pai, que me fez compreender a importância de ser correto, de viver com ética e de sempre tratar a todos com atenção e com carinho. Serei eternamente grato a ele.

E pensando nele, não posso deixar de reafirmar com todos os pais maranhenses o meu compromisso de continuar essa jornada pelo bem-estar de seus filhos. Afinal, é o que todo pai deseja. Ao lado do governador Flávio Dino, em um Governo que se dedica à pessoa em primeiro lugar, tenho a certeza de que estamos no caminho certo. E isso comprovo diante das inúmeras manifestações que recebemos durante minhas andanças pelas cidades deste nosso imenso Maranhão.

Seja pelo abraço forte de um pescador que, agora, tem um novo motor para equipar sua canoa – instrumento que usa em busca de seu sustento -; seja pela satisfação de um pequeno agricultor, cada vez mais empenhado em produzir, já que tem a garantia de que seus produtos serão adquiridos pelo programa Comida na Mesa; seja por aquele cidadão que jamais teve a oportunidade de estudar – ou de ampliar seus estudos – e hoje vê seu filho ou sua filha com acesso a escolas em tempo integral e a modernos institutos de profissionalização (muitos em seu próprio município); seja por aqueles que, esperançosos, presenciam seus meninos e meninas terem as portas abertas do mercado de trabalho, por intermédio do programa Trabalho Jovem.

Tenho dito que só entenderemos a verdadeira transformação pela qual o estado está passando daqui a alguns anos. É preciso dar tempo ao próprio tempo para que a história seja escrita. Mas cada pai alcançado pelas obras e ações do governo do Estado já sente, imediatamente, que os seus terão um futuro diferente. É algo que percebo nos olhos de cada um que chega a mim. Como em Itapecuru, enquanto visitávamos a obra de uma Rua Digna, pavimentada por bloquetes produzidos e assentados por detentos de bom comportamento da unidade prisional – que terão suas penas reduzidas por conta da mão de obra empregada.

Um desses pais de família, que por conta de um erro que cometeu está na condição de apenado, mas participando do projeto, veio em minha direção e me disse que – como quem entende o tamanho do que está sendo construído – por conta do tratamento que está recebendo; das oportunidades de aprendizado, como interno; da chance de entregar à sociedade algo que sente que deve, por sua ação no passado: tem a certeza de que será um novo homem, principalmente para sua família, para seus filhos. E por isso agradeceu e pediu que essa forma de governar continue. E vai continuar.

Hoje, e em todos os dias, renovo o meu compromisso com cada pai maranhense. O compromisso de continuar defendendo o Maranhão, trabalhando de forma correta, ética e tratando a todos com dignidade. Como o meu pai me ensinou.

Feliz Dia dos Pais!

Deixe um comentário