Rede aciona STF contra decreto de Bolsonaro

A Rede Sustentabilidade protocolou uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a suspensão do decreto que concede o perdão ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ).

O decreto foi publicado ontem (21) pelo presidente Jair Messias Bolsonaro (PL). Uma frente da Rede preferiu recorrer diretamente ao ministro Alexandre de Moraes, relator da ação que levou a condenação de Silveira.

Daniel Silveira foi condenado pelo STF a oito anos e nove meses de prisão por estimular atos antidemocráticos e ataques a ministros do STF.

Carlos Lula considera desastrosa a decisão sobre fim da emergência sanitária

O ex-secretário de Saúde do Maranhão e ex-secretário do Conselho Nacional de secretários de Saúde, Carlos Lula, classificou como desastrosa a decisão do Ministério da Saúde em anunciar o fim da Emergência em Saúde Pública provocada pela Covid-19.

“A revogação do estado de emergência sanitária é apenas mais uma medida do @minsaude tomada sem diálogo prévio com a sociedade, na contramão da OMS e sob evidente pressão presidencial”, disse o ex-secretário.

Carlos Lula aponta o presidente Jair Bolsonaro (PL) interferiu diretamente na decisão do órgão e tirou a oportunidade da sociedade brasileira participar da discussão.

“É a última pá de cal a tão falada coordenação interfederativa, que simplesmente inexistiu na pandemia. Estados e municípios assumiram o papel que caberia ao Ministério da Saúde. A cooperação virou conflito. O resultado todos sabemos: um desastre”, tuitou.

“Vamos vacinar!”, convoca o vice-governador

O ano começou com imensos desafios. No Maranhão, enchentes deixam desabrigados e incontáveis prejuízos materiais. Nossa grande preocupação é a preservação das vidas. O que estamos conseguindo é muito pelo esforço de nossas equipes que, prontamente, se puseram à frente das dificuldades para amparar as pessoas atingidas. Estamos trabalhando firmemente para minimizar os danos e garantir acolhimento a todos, como é determinação do governador Flávio Dino.

Por outro lado, 2022 nos traz a tarefa de, novamente, termos que lutar contra um surto de gripe e uma pandemia causada pela variante Ômicron, mais uma do novo coronavírus. E, segundo especialistas, esse cenário pandêmico pode se agravar até o início de fevereiro. Imediatamente adotamos várias medidas na intenção de não permitir que se passe algo parecido com o que passamos em 2020 e 2021, quando a doença ainda era uma completa desconhecida. Arregaçamos as mangas e nos posicionamos como o estado brasileiro com a menor taxa de mortalidade por covid-19. Resultado de um sistema de saúde descentralizado e ampliado; da contratação rápida de profissionais de saúde; da disponibilização de medicamentos, leitos e UTIs em várias regiões. Um trabalho que envolveu muitos servidores públicos, de todas as áreas, focados na garantia da vida.

Mas há sempre mais a se fazer. Com a chegada das vacinas, preparamos uma logística bem montada, o que garantiu o imunizante aos 217 municípios de forma rápida e segura. Inclusive, nossa histórica Alcântara foi a primeira cidade brasileira a registrar 100% de cobertura vacinal entre a população adulta. Aliás, quero aproveitar este artigo para fazer um pedido a todos os maranhenses: vacinem-se. Acabamos de completar um ano do início da vacinação no estado e ainda temos muitos maranhenses desprotegidos, apesar de todo o esforço que fazemos. Temos vacinas, mas precisamos da decisão de cada um. Eu mesmo já estou até com minha dose de reforço. Não custa lembrar que, de todos os infectados internados hoje em nossas unidades de saúde, 80% não estão vacinados. Concordo com os especialistas que continuam defendendo que nos protejamos com as duas doses, mais o reforço. Assim, podemos transformar a fase de pandemia em uma fase de controle, de vigilância. Inclusive, um recente estudo do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS) do Rio Grande do Sul, mostra que a vacinação completa contra o novo coronavírus reduziu em 87% o risco de óbitos por covid-19.

Chegamos, agora, a um novo estágio. No Maranhão, já iniciamos a aplicação do imunizante nos maranhenses entre 5 e 11 anos de idade. Mais de 50 mil doses já foram distribuídas aos municípios. A vacinação nas crianças é importante, não apenas pela proteção das pequenas e dos pequenos, mas também pela proteção indireta que ela permite aos adultos, pois evita a maior circulação do vírus e consequente contágio daqueles que não estão vacinados.

Temos que ter a clareza de que a função da vacina é proteger a população contra uma infecção mais grave, desafogando as unidades de saúde e evitando a evolução de óbitos. Por isso, reforço o meu pedido para todos: aos que ainda não se vacinaram e também àqueles que ainda não completaram o ciclo vacinal (mesmo quem já teve covid-19). A vacina é uma conquista de todos e um grande escudo para a valorização da vida.

“Por isso, reforço o meu pedido para todos: aos que ainda não se vacinaram e também àqueles que ainda não completaram o ciclo vacinal (mesmo quem já teve covid-19). A vacina é uma conquista de todos e um grande escudo para a valorização da vida”.

Carlos Brandão

Vice-governador do Maranhão

Anunciadas novas medidas para atendimento aos pacientes das síndromes gripais no Maranhão

O secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, usou as redes sociais para divulgar o plano de ações para atendimento aos maranhenses com sintomas de gripe ou acometidos por síndromes mais graves, como a Covid-19. As ações anunciadas antecipam um possível aumento de casos de internação, como acontece em outros estados.

“Para ampliar a assistência aos pacientes com síndromes gripais, anuncio uma série de medidas que serão executadas pela Secretaria de Estado da Saúde”, escreveu no Twitter.

Estas são as medidas anunciadas para a capital e interior: ampliação de leitos de internação para adultos e crianças com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG); ambulatórios para crianças com sintomas gripais em São Luís, Balsas, Pinheiro e Santa Inês; ambulatório para adulto e crianças com sintomas de gripe em Pedreiras, Mirador e quatro na Grande Ilha, no Hospital Aquiles Lisboa, no IEMA (antigo Cintra) e nos CEM Padre José Bráulio Sousa Ayres e Domingos Vieira Filho. Todos os ambulatórios realizam testagem rápida de antígeno para descartar ou confirmar novos casos da Covid-19.

Carlos Lula também anunciou o retorno dos Hospitais Dr Genésio Rêgo e Cuidados Intensivos ao perfil de atendimento exclusivo aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave.

Após fazer exames na emergência do São Domingos, Flávio Dino tranquiliza a população

Após dar entrada na emergência do hospital São Domingos, para uma bateria de exames, o governador Flávio Dino (PSB) tentou tranquilizar a população do Maranhão com relação aos seu estado de saúde.

Dino testou positivo para a Covid-19.

“Agradeço muito as mensagens fraternas acerca do meu diagnóstico de Covid, assim como as orações pela minha saúde. Sigo em bom estado, quase sem sintomas e com exames niormais quanto ao pulmão. Despachos seguem em casa, até que eu tenha liberação médica”.