Ricardo Murad questiona qual é a fonte da dinheirama derramada por Weverton Rocha e Josimar Maranhãozinho na campanha eleitoral

O ex-secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad (PSC), usou as redes sociais para questionar de onde estão saindo os recursos que o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) e o senador Weverton Rocha (PDT) vão utilizar para realizar a convenção partidária, marcada para o dia 29 de julho, no Estádio Nhozinho Santos.

“Afinal, de onde tá saindo essas dezenas e dezenas de milhões gastos até o momento e de onde irão tirar toda essa dinheirama que essa campanha de ostentação está apontando?”, questionou.

Os investigados estão empolgados com o evento, no entanto, Ricardo Murad pretende jogar “água no chopp” de Weverton Rocha por não concordar com o uso da força bruta do poder econômico.

“Coisa de louco. Weverton e Maranhãozinho apostam na força bruta do poder econômico para ganhar a eleição. Decidiram realizar a convenção num estádio de futebol. Será que a dupla terá o sucesso que esperam, ou o tiro sairá pela culatra?”, comentou.

Carlos Brandão deseja boa recuperação à Roseana Sarney

O governador Carlos Brandão (PSB) usou as redes sociais para desejar uma boa recuperação à ex-governadora Roseana Sarney (MDB) que testou positivo para Covid-19.

“Desejo a você uma pronta recuperação. Que Deus lhe abençoe. Forte abraço!”, publicou.

Na tarde de ontem (21) Roseana Sarney informou que acordou com febre e após a realização de um teste, foi diagnosticada com Covid-19.

“Olá, pessoal… amanheci febril, fiz o teste para COVID e, infelizmente, testei positivo. Estou bem, cumprindo as recomendações médicas, em isolamento e repouso”, informou.

Programa do PT fala em “abrasileirar” preço do combustível

A nova versão das diretrizes do programa de governo da chapa Lula-Alckmin mantém a promessa de revogação do teto de gastos e ameniza o discurso em relação à reforma trabalhista do governo Temer.

O texto também amplia as menções ao meio ambiente e ao preço dos combustíveis, assuntos que resultaram em críticas a Jair Bolsonaro (PL) nas últimas semanas, mantém as críticas à venda dos Correios, da Petrobras e da Eletrobras – esta última, privatizada pelo atual governo – e ao que chama de “orientação passiva” da política cambial.

O documento, intitulado “Diretrizes para o Programa de Reconstrução e Transformação do Brasil 2023-2026”, que deve ser lançado oficialmente nesta terça-feira (21) pela chapa Lula-Alckmin.

O texto contém as siglas de PT e PSB – partidos de Lula e Alckmin, respectivamente – e de PSB, PCdoB, Partido Verde, PSOL, Rede e Solidariedade, que já declararam apoio à chapa.

Falta um mês para o início do prazo para a realização de convenções partidárias

Falta exatamente um mês para o início do prazo para que os partidos políticos possam realizar convenções destinadas a deliberar sobre coligações e a escolha de candidatas e candidatos a presidente e vice-presidente da República para as Eleições Gerais de 2022, bem como aos cargos de governador e vice-governador, senador, deputado federal, deputado estadual e distrital.

O primeiro turno do pleito está marcado para 2 de outubro, e o segundo turno para 30 do mesmo mês, caso haja.

Pelo calendário das Eleições 2022, as convenções partidárias podem ser realizadas de 20 de julho a 5 de agosto deste ano, no formato presencial, virtual ou híbrido.

Após a escolha das candidatas e candidatos nas convenções, as siglas poderão solicitar o registro das candidaturas perante a Justiça Eleitoral.

A federação de partidos registrada no TSE também está habilitada a participar das eleições, sendo que, neste caso, as convenções deverão ocorrer de forma unificada, como a de uma única agremiação.

PSD vai abrir a jaula e soltar o agressivo Holandinha

Após ser ultrapassado por Lahesio Bonfim (PSC) na corrida eleitoral de 2022, o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, tomou uma dura do comando do PSD e deve mudar o seu discurso de “bom moço”, tomando uma postura mais agressiva.

Até o momento, Holandinha tem evitado e condenado “brigas políticas “e diz ser o candidato da “paz”, o politicamente correto. Acontece que a estratégia não está dando certo.

Os líderes do PSD estão cobrando uma campanha mais agressiva, no entanto encontram a resistência do pré-candidato.

Segundo informações, se as coisas continuarem como estão o partido pretende escolher um vice mais intenso que movimente a pré-campanha de Holandinha.

Cléber Verde em evento do governo Brandão (Ou: parlamentar tenta tirar casquinha ou abandona Weverton?)

O deputado federal Cleber Verde (Republicanos) foi visto em um evento promovido pelo governo de Carlos Brandão (PSB). A imagem chamou atenção da população maranhense, já que o parlamentar havia declarado apoio ao senador Weverton Rocha (PDT).

O evento foi realizado na cidade de São João do Soter, onde o Governo do Maranhão tem cumprido a rotina de inaugurações, vistorias e anúncios de obras e serviços nos mais diversos cantos do Maranhão.

Cleber Verde foi visto animado e comemorando os avanços do governo Carlos Brandão. O fato pode ter incomodado o senador Weverton Rocha por ver que um dos seus principais aliados pode estar lhe abandonando.

Nos próximos dias o Governo do Maranhão irá visitar pelos menos 10 municípios, levando boas novas aos maranhenses. Basta saber se Cleber Verde vai continuar seguindo a caravana “O Maranhão não pode parar”.

 

Santa Inês: Presidente da Câmara é investigado após nomear servidora que não aparece na Casa Legislativa

O Ministério Público Estadual instaurou um inquérito civil para investigar o presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Santa Inês, Josino Alves Catarino Neto, e a servidora pública Aline Costa Santos.

Segundo denúncias, Aline Costa Santos estaria recebendo salário da Casa Legislativa sem cumprir integralmente a sua carga horária. O salário recebido por ela é um dos maiores da Câmara Municipal.

Na Câmara Municipal ela foi admitida para o Cargo de Chefe do Setor de Orçamento, Finanças e Contabilidade, recebendo remuneração bruta de R$ 4.873,57 (quatro mil, oitocentos e setenta e três reais e cinquenta e sete centavos).

Outra informação é que mesmo depois de nomeada na Casa Legislativa, Aline continuou trabalhando para a empresa K. Barros Serviços e Empreendimentos -EIRELI, que pertence a Klécyo Henryque Matos Barros, irmão da servidora Krystyane Matos Barros, também investigada em virtude da notícia de que recebe salário sem trabalhar na Câmara Municipal de Santa Inês.

Aline Costa Santos é filha de Tânia Maria Matos Costa, o que sugere a existência de parentesco com o proprietário da empresa supracitada em razão do sobrenome em comum.

O Ministério Público requisitou ao Presidente da Câmara que no prazo de 10 dias encaminhe fotocópia do registro de ponto da servidora Aline Costa Santos, desde o dia 1° de abril até os dias atuais, além de comprovação da qualificação técnica da servidora para o desempenho para o cargo de Chefe do Setor de Orçamento, Finanças e Contabilidade.

O caso segue sendo investigado.

Brandão oficializa pedido de licença de mais dez dias

O governador Carlos Brandão (PSB) oficializou o pedido de mais dez dias de licença do Governo do Estado do Maranhão.

Por meio de um ofício, Brandão comunicou à Assembleia Legislativa do Maranhão (ALEMA), que continuará no estado de São Paulo se recuperando de uma cirurgia para a retirada de um cisto no rim.

“Comunico a Assembleia Legislativa a necessidade de permanecer afastado do território do Estado do Maranhão, nos dias 21 a 30 de junho de 2022, prazo necessário para recuperação de procedimento cirúrgico”, informou.

Em entrevista a uma emissora de TV local, Brandão já havia anunciado que pediria a licença de 10 dias. Ao receber o ato do governador, o presidente da Assembleia, deputado Othelino Neto (PCdoB), também renovou sua “escusa temporária” de assumir o posto.

Com isso, segue a frente do Executivo Estadual o desembargador Paulo Velten, presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA).

 

CPI pode ser tiro no pé do governo ao mostrar pressão contra Petrobras para favorecer Bolsonaro

A criação de uma CPI para investigar a Petrobras pode ser um tiro no pé do próprio governo, mostrando pressões políticas sobre a diretoria da estatal para evitar reajuste de preços em nome da reeleição do presidente Jair Bolsonaro e da derrota do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo informações, em reuniões convocadas pelo governo com a direção da Petrobras, aliados do presidente Bolsonaro chegaram a acusar diretores da estatal a trabalharem pela derrota de Bolsonaro e uma vitória de Lula.

Um interlocutor da diretoria da estatal disse que a resposta foi não comentar a questão política e somente alertar que o pior seria um desabastecimento de diesel no país no segundo semestre. Neste caso, o desgaste para o presidente seria ainda maior do que o reajuste.

Agora, diante da renúncia de José Mauro Ferreira Coelho da presidência da estatal, a avaliação é que a disposição de se criar uma CPI, que já era uma manobra eleitoreira e uma tentativa de tirar do presidente da República a responsabilidade pelos aumentos, perde força.

“Os defensores da CPI, que não queriam a CPI, agora ganham o argumento para desistir da ideia com a renúncia do presidente da empresa”, disse um líder partidário.