O que será de Edivaldo Holanda Júnior, o Grande?

As notícias positivas e os números espelham os avanços, frutos da gestão peculiar do grande prefeito Edivaldo Holanda Júnior

Uma coisa ninguém pode negar: aquele menino que assumiu a Prefeitura de São Luís em 2012, não é mais o mesmo em 2020. Após oito anos, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior passa ao largo daquele que todo dia era chamado de EdiH, Holandinha, pupilo de Flávio Dino ou filhinho mimado do papai.

Aliás, teve um momento em que a pauta na mídia era sobre uma suposta depressão, discrição ou sobre omissão político-administrativa.

Pois agora, até seu afastamento da campanha eleitoral é digna de elogio e reconhecimento de grandeza. Não só Edivaldo Holanda Júnior como a Prefeitura de São Luís de 2020 encerram o ciclo com galhardia.

A sua Comunicação, que outrora fora igualmente questiona, também não pode ser esquecida nesse balanço.

A simpática Conceição, começou como o chefe, discreta. Não demorou muito para os resultados aparecerem. Jornalistas e blogueiros (normalmente os de verve isenta, jornalisticamente falando) passaram a olhar a gestão com uma visão diferente.  Claro, sempre tem as almas sebosas desprovidas de ética e com o foco apenas na extorsão, que sempre vão levar para o lado “pessoal do bolso”.

Nos demais setores da administração direta, saúde, educação, infraestrutura, não há perfeição, evidentemente. Mas as notícias positivas e os números espelham os avanços, frutos da gestão peculiar do grande prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

Se essa grandeza vai capitular para 2022, só o tempo dirá. Mas a boa sorte está lançada.