Bolsonaro é vaiado em Sergipe e foge da população aos gritos de “Lula”

O presidente Jair Messias Bolsonaro (PL) foi vaiado em uma breve visita na cidade de Capela em Sergipe.

De acordo com informações, Bolsonaro esperava ser acolhido pela população e teria saído do seu roteiro para conhecer o município.

Surpreendido com vaias e gritos de “Lula”, Bolsonaro entrou em seu carro e seguiu seu destino.

 

Presidente do TSE afirma que eleições é assunto das “forças desarmadas”

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, declarou nesta quinta-feira (12) que a Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais estará aberta a se dobrar e afirmou que quem trata das eleições são as “forças desarmadas”.

“A Justiça Eleitoral está aberta a ouvir, mas jamais está aberta a se dobrar a quem quer que seja para tomar as rédeas do processo eleitoral”, disse Fachin.

Fachin ainda disse que o trabalho das forças armadas para a logística e administração das eleições é “proveitoso”, mas que o processo eleitoral é um tema civil.

Em resposta ao presidente Jair Bolsonaro, que ameaçado constantemente às eleições de 2022, Fachin destacou “quem coloca dúvidas sobre o processo eleitoral não confia na democracia”.

“Bolsonaro perderá a eleição, mas tentará o golpe”, afirma Flávio Dino em entrevista sobre frente democrática

“Se tem um assunto do qual militares não entendem no Brasil, é eleição”. Estas foram as palavras do ex-governador Flávio Dino durante entrevista ao Jornal o Globo na tarde de ontem (09).

Dino ainda afirmou que o Tribunal de Justiça Eleitoral (TSE) deveria encerrar a colaboração com os militares e que as questões nacionais e questões democráticas são os pilares centrais das reconquistas do Brasil.

Mais tarde, o ex-governador participou de um programa na TV 247 onde foi debatido questões sobre a frente democrática contra o fascismo e as eleições de 2022.

Questionado sobre a possibilidade de um ato golpista por parte de Jair Bolsonaro, o ex-governador do Maranhão frisou: “Bolsonaro tentou o golpe e tentará novamente. Bolsonaro perderá a eleição, mas tentará o golpe.”

A entrevista foi comandada pelo jornalista Leonardo Attuch que classificou Dino como “um dos maiores líderes do campo progressista”.

TSE rejeita propostas das Forças Armadas para as eleições de 2022

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que não acatou as sugestões das Forças Armadas sobre o processo eleitoral brasileiro pra 2022.

A decisão acontece no momento em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) amplia insinuações golpistas, ataques às urnas e promete uma auditoria que pode “complicar” o tribunal.

Em ofício enviado aos membros da CTE (Comissão de Transparência Eleitoral), órgão que tem uma cadeira para as Forças Armadas, reafirma que o pleito deste ano terá segurança.

“A Justiça Eleitoral tem historicamente assegurado a realização de eleições íntegras em nosso país. O êxito e a credibilidade conquistados pela instituição nesta tarefa maior de promoção da democracia firmam esta Justiça especializada como verdadeiro patrimônio imaterial da sociedade brasileira”, afirmou Fachin.

O TSE nega de forma assertiva 3 das 7 sugestões e diz que o restante já está em prática, ou seja, que não há o que mudar.

Alexandre de Moraes afirma que TSE não vai se intimidar com declarações de Bolsonaro sobre processo eleitoral

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirmou que a Justiça Eleitoral não vai se amedrontar diante dos ataques às urnas eletrônicas e ao sistema de votação do país.

A declaração vem um dia após o presidente Jair Bolsonaro comentar que o partido dele, o PL, contratará uma empresa de auditoria para fiscalizar o processo eleitoral deste ano.

“Não vamos nos intimidar. Vamos trabalhar com independência, autonomia e rigor”, garantiu o ministro, ao participar do 48° Encontro do Colégio de Corregedores Eleitorais, na última sexta-feira (6). Atual vice-presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Moraes vai assumir a presidência da corte em agosto. Portanto, estará à frente do Tribunal eleitoral durante as eleições, que acontecem em outubro.

Outros magistrados também se manifestaram a favor do sistema eleitoral brasileiro e em defesa do TSE. O corregedor-geral eleitoral, ministro Mauro Campbell, ressaltou programas de combate à desinformação implementados pelo TSE e parcerias firmadas pelo Tribunal com empresas de mídias sociais, que permitem à Justiça Eleitoral ter acesso às fontes dos abusos e crimes. “Nós todos queremos paz e segurança para as eleições”, frisou.

“Alguém avisa que ele é o presidente”, diz Flávio Dino após críticas de Bolsonaro à administração da Petrobrás

Após declaração de Jair Bolsonaro (PL), que classificou como “estupro” o aumento do preço dos combustíveis no bolso do brasileiro, o ex-governador Flávio Dino (PSB) não poupou críticas à fala do presidente.

Segundo informações, na quinta-feira (05), em uma live, o presidente teria apontado falhas na administração da Petrobrás e chamou de crime o aumento do preço dos combustíveis.

Ao tomar conhecimento da declaração, o ex-governador publicou uma mensagem nas redes sociais em que alertou. “Alguém deveria avisar a ele que, até 31 de dezembro de 2022, ele é o presidente da República, portanto o “chefe supremo” da Petrobrás”, publicou Flávio Dino.

Deputada que venceu Bolsonaro no STF será uma das coordenadoras da campanha de Lula

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) será uma das coordenadoras da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e cuidará do Grupo de Trabalho responsável pela escuta e participação no programa de governo.

A deputada já foi ofendida por Jair Bolsonaro, que a atacou na Câmara com agressões verbais. O então deputado afirmou que Rosário “não merece ser estuprada porque ela é muito ruim, ela é muito feia, não faz meu gênero”.

Em 2015, Bolsonaro foi condenado em primeira instância a pagar danos morais no valor de R$ 10 mil. Ele recorreu e, dois anos depois, o STJ manteve a sentença. Esse valor chegou a R$ 20 mil, com atualizações e pagamento de honorários à defesa.

Em novembro de 2019, a petista doou o valor para sete instituições que atuam em defesa da mulher, num ato no Salão Verde da Câmara. O mesmo local onde Bolsonaro a atacou verbalmente.

Por conta de Bolsonaro, G7 volta a descartar a presença do Brasil em evento com principais economias do mundo

O governo Bolsonaro tem sido ignorado pela Cúpula do G7. Desde que o presidente assumiu o governo, o Brasil não foi mais convidado para fazer parte do evento que reúne as principais economias do mundo.

Nesta segunda-feira, o governo da Alemanha anunciou os países que farão parte do evento que está marcado para o mês de junho. Mas, assim como ocorreu em 2021 e em 2019, o Brasil foi esnobado.

Conhecido como o grupo das economias desenvolvidas, o G7 é formado por EUA, Itália, França, Japão, Canadá, Reino Unido e Alemanha. Para este ano, Berlim preside o G7 e optou por convidar para o evento os governos do Senegal, África do Sul, Índia e Indonésia.

O Brasil, que por anos foi um dos países mais presentes no evento, passou a ser preterido. A situação do Brasil é interpretada no meio diplomático como um sinal da perda de prestígio internacional do país e de resistência por parte dos países ricos em aceitar a presença de Bolsonaro na mesa de negociações.

“Nós temos um Zé Ninguém que só sabe levantar 5h da manhã para contar mentiras”, diz Lula sobre Bolsonaro

Em discurso durante o encontro com mulheres na Brasilândia, zona norte da cidade de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez duras críticas a Jair Bolsonaro (PL) e afirmou que “o presidente só conhece o ódio”.

Ainda de acordo com Lula, o Brasil precisa de um presidente que “converse com o mundo inteiro, como Estados Unidos, China e Argentina. Afirmou, também, que “nós temos um Zé Ninguém que não conversa com ninguém, que só sabe levantar 5h da manhã para contar mentiras”.

“Um homem que não conhece a palavra solidariedade, um homem que não conhece a palavra afeto, um homem que não conhece a palavra amor, um homem que não conhece a palavra cultura, um homem que não conhece a palavra educação, ele só conhece ódio, ódio, ódio e ódio”, disse Lula.

Alexandre de Moraes diz que aqueles que colocarem em dúvida as eleições “serão combatidos com a força da Constituição”

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, afirmou que aqueles que colocarem em dúvida as eleições desse ano “serão combatidos com a força da Constituição”.

“Aqueles que pretenderem, de qualquer forma, colocar em dúvida o pleito eleitoral, atacar a democracia, serão combatidos com a força da Constituição, com a força da lei, com a independência da autonomia do Poder Judiciário”, afirmou Moraes.

Alexandre de Moraes afirmou, ainda, que não aceitará atuação de milícias digitais e muito menos fakenews.

“Nós não vamos aceitar desinformação. Não vamos aceitar a atuação de milícias digitais nas eleições de 2022. Nós não iremos aceitar fake news, não iremos aceitar notícias fraudulentas sobre supostas fraudes. Nós vamos de forma transparente, rígida e segura mostrar que a população pode e deve acreditar nas urnas eletrônicas”, comentou o ministro.