Braga Netto mostra que Defesa foi convidada há 10 meses para inspecionar código-fonte das urnas eletrônicas

Um ofício direcionado ao então ministro Walter Braga Netto em 6 de outubro de 2021 – e obtido pelo blog – comprova que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convidou o Ministério da Defesa a inspecionar código-fonte das urnas eletrônicas com antecedência.

No documento, assinado pelo então presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, havia o alerta de que as entidades fiscalizadoras poderiam fiscalizar os códigos-fonte “a qualquer tempo até a Cerimônia de Assinatura Digital e Lacração dos Sistemas para as Eleições 2022″, que deve ocorrer até 2 de setembro.

O atual ministro da pasta, general Paulo Sérgio Nogueira, enviou na segunda-feira (1º) um ofício classificado como “urgentíssimo” ao TSE pedindo que técnicos das Forças Armadas sejam autorizados a acessar os códigos-fonte entre os dias 2 e 12 de agosto.

O pedido, que ocorre 10 meses depois do envio do ofício, não respeita o prazo pedido pelo TSE, de 10 a 15 dias de antecedência.