Ex-presidente da Agemsul, Frederico Ângelo, assume cargo na Casa Civil

Ex-presidente da Agência Executiva Metropolitana do Sudoeste Maranhense(AGEMSUL), Frederico Ângelo, assumiu nesta quinta-feira (09) uma secretaria Adjunta da Casa Civil do Governo Flávio Dino.

No novo posto, Ângelo vai auxiliar o chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, nas políticas públicas de todo o estado, mas com foco nos municípios da Região Sul.

Após tomar posse, o novo membro da equipe do governo fez uma visita ao vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Carlos Brandão lidera comitiva que conhece fabricação da Butanvac

O vice-governador, Carlos Brandão (PSDB),liderou nesta segunda-feira (05) uma comitiva formada pelos secretários de Estado da Saúde, Carlos Lula e de Articulação Política, Rubens Júnior, em visita ao Instituto Butantan. O objetivo foi o de conhecer o processo de fabricação da vacina Butanvac, a primeira vacina contra a Covid-19 produzida inteiramente no Brasil.

A agenda em busca de mais vacinas incluiu, também, reunião com o governador de São Paulo, João Dória, no Palácio dos Bandeirantes. Após o diálogo, a comitiva maranhense seguiu para a sede do Instituto Butantan, onde conheceram mais sobre os trâmites necessários para a fabricação da vacina.

Para Carlos Brandão, a fabricação da vacina brasileira representa uma esperança de mais uma opção viável, que poderá reforçar as ações de combate do novo coronavírus no país.

“A expectativa é muito grande de salvar milhares de vidas. O governo do Estado tem estudado novas ofertas para a aquisição de mais doses de imunizantes contra a Covid-19. Conhecemos, hoje, as instalações do Instituto Butantan e todo o processo de fabricação da Butanvac. Inclusive, já manifestamos o nosso interesse na compra da vacina, tão logo seja aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”, pontuou o vice-governador.

Na ocasião, o diretor do Instituto, Dimas Tadeu, agradeceu a visita da comitiva e destacou a gravidade da situação em todo o país, frisando que o cumprimento das medidas restritivas, ainda é a melhor forma de conter a circulação do vírus.

“A situação da epidemia, nesse momento, é muito grave, e requer muito mais do que vacinas para contê-la. As vacinas são importantes, não há dúvida nenhuma. Mas as medidas restritivas de combate ao novo coronavírus são muito mais importantes para conter a propagação da doença”, reforçou o diretor.

Participaram da reunião, o diretor do Instituto, Dimas Tadeu; o diretor de estratégias jurídicas, Paulo Luís Capelloto; e a diretora de projetos estratégicos, Cintia Retz.

Brandão e Weverton amadurecem seus projetos de poder numa intensa agenda de pré-campanha

Ainda faltando pouco mais de 600 dias para o grande embate eleitoral de 2022 e em meio a agitada onda de especulações a respeito de quem será quem na disputa dos cargos majoritários, os últimos dias surpreenderam pela movimentação de candidatos a candidato à sucessão do governador Flávio Dino (PCdoB).

A onda ganhou volume em Imperatriz, onde o prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PSL), surpreendeu o meio mundo ao se lançar candidato a governador, e logo em seguida o deputado federal Hildo Rocha avisou que, se o senador Roberto Rocha (ainda no PSDB) não for candidato ao Governo, o MDB lançará candidato, podendo ser ele próprio. Se esses episódios de desdobramentos improváveis animaram a seara política e partidária, agitação mais intensa, mesmo que sem grande alarde, foi causada pelos movimentos dos dois principais pré-candidatos ao Palácio dos Leões até aqui, o vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) e o senador Weverton Rocha (PDT). Ambos, cada um a seu modo, reforçaram seus projetos de candidatura.

O vice-governador Carlos Brandão, entre um e outro compromisso formal representando o governador Flávio Dino, vem cumprindo agenda política cheia, recebendo prefeitos, vereadores e líderes municipais para conversas que avançam pela noite no Palácio Henrique de la Rocque. Cuidadoso, atua de maneira discreta, usando a experiência de quem foi chefe da Casa Civil no Governo intensamente político de José Reinaldo Tavares, e com a segurança de vice-governador reeleito e sem ter criado qualquer incômodo para o governador Flávio Dino, que o tem como um aliado eficiente e confiável. Seu partido saiu das urnas com 25 prefeitos e 213 mil votos majoritários em São Luís.

Na semana que passou, Carlos Brandão conversou com dezenas de líderes de diversas regiões, entre eles o prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, apoiador assumido do seu projeto de candidatura, que foi visitá-lo acompanhado de vereadores e líderes daquela região. Não bastasse isso, o vice-governador viu nascer na Assembleia Legislativa o Bloco Democrático, formado por sete deputados – Duarte Júnior (Republicanos), Ariston Ribeiro (Republicanos), Fábio Macedo (Republicanos), Detinha (PL), Daniella Tema (DEM), Vinícius Louro (PL) e Leonardo Sá (PL) -, visto por todos os observadores como um suporte do seu projeto de candidatura. No início da noite de quinta-feira (25), ao responder a uma ligação da Coluna, revelou seu estado de ânimo: “As coisas vão indo muito bem, melhorando a cada dia”.

O senador Weverton Rocha, por sua vez, não para. Ele se desdobra para ser o parlamentar produtivo no Senado, o presidente do PDT no Maranhão e o arrojado e determinado candidato a candidato a governador. Sobre esse último item, ele tem respondido às indagações afirmando que nunca deu qualquer declaração se dizendo candidato, o que é verdade. Mas é verdade também que nunca disse que não o será.

Para o resto do mundo é tão ou mais candidato do que seu principal oponente, com quem trava no momento uma guerra sem trégua por corações e mentes na seara política maranhense. Seu gabinete em Brasília é ponto de referência para praticamente todos os líderes políticos maranhenses. Seu partido elegeu 42 prefeitos, mas sem um só voto majoritário em São Luís

Além da máquina partidária que comanda e do poder de fogo que usa com a distribuição dos recursos de emendas ao Orçamento da União – agora mesmo, por exemplo, conseguiu garantir alguns milhões de reais para dois hospitais, um para Imperatriz, na Região Tocantina, e outro para Pinheiro, na região da Baixada, conta ainda na Assembleia Legislativa com um grupo informal que tem o presidente Othelino neto (PCdoB) como referência principal. Também dispõe de uma megaestrutura de divulgação, com aliados na blogosfera, em dois programas de rádio, além da poderosa e ramificada estrutura municipalista da Famem, comandada por Erlânio Xavier (PDT), prefeito de Igarapé Grande e seu fiel escudeiro e coordenador-mor das suas campanhas.

Carlos Brandão e Weverton Rocha representam claramente dois modos de fazer política. O primeiro investindo no discreto mais eficiente trabalho nos bastidores, na conversa ao pé do ouvido, nos acordos sem alarde. O segundo atua mais abertamente, conversando muito e usando o seu poder senatorial para beneficiar municípios, onde prefeitos aliados embalam seu projeto. É quase certo que os dois serão testados nas urnas em Outubro do ano que vem. (Do blog do Ribamar Correa)

A frustração dos que tentaram desacreditar o vice-governador Carlos Brandão

Para quem espalhou aos ‘quatro ventos’ que Carlos Brandão não cumpriria a palavra empenhada, durante a sua mais recente interinidade como chefe do executivo maranhense, soou frustrante a notícia de que o vice-governador iniciou a autorização de convênios municipais com prefeituras maranhenses. Pouco mais de um mês depois de receber 153 prefeitos no Palácio dos Leões, agora representando o governador Flávio Dino, Brandão iniciou a autorização dos convênios municipais, e já na segunda-feira, 22, foram liberadas solicitações de sessenta cidades.

Carlos Brandão pretende dar respostas rápidas aos pedidos feitos pelos prefeitos que estiveram com ele em janeiro, e continuar as conversas com os demais gestores, para que sejam atendidos os 217 municípios do estado. Preocupado com o êxito desse trabalho, o vice-governador afirmou destacou a importância dos prefeitos e equipe serem auxiliados desde a apresentação das propostas de obras e criação de programas para cada localidade até a execução dos projetos, que devem ser elaborados de acordo com a necessidade e a capacidade orçamentária relativa aos municípios.

O governo tem um teto financeiro a ser respeitado e é isso que garantirá o bom êxito da empreitada, segundo Brandão. Pautas como essa reforçam o caráter municipalista adotado por Dino e Brandão. Nos encontros com os gestores municipais eleitos e reeleitos, o vice-governador tem reforçado a sua opinião de que as soluções para os problemas do Maranhão passam pelo municipalismo, pelo desenvolvimento social e econômico em todas as regiões maranhenses, considerando sempre as suas respectivas vocações para negócios, investimentos, ações e programas, respeitando as peculiaridades de cada cidade.

Carlos Brandão segue conversando com os prefeitos esta semana, inteirando-se dos pleitos e desafios dos municípios. As autorizações dos convênios são uma ducha de água fria naqueles que quiseram desacreditar o vice-governador do Maranhão, tentando convencer os gestores municipais de que a palavra de Carlos Brandão não seria cumprida. É o primeiro sinal claro do que está pensando o governador Flávio Dino em relação à sua sucessão, em 2022.

Por enquanto, apesar da rebeldia protagonizada por integrantes do grupo governista nas eleições para prefeito de São Luís, a base de apoio do governo tecnicamente permanece unida, graças ao esforço de um dos braços direito de Dino, o deputado licenciado e secretário das Cidades, Márcio Jerry. Não se sabe se essa união perdurará por muito tempo; afinal, o senador Weverton Rocha, com toda legitimidade que lhe é garantida, estaria mesmo disposto a disputar o governo do Maranhão no ano que vem. (Jornal Pequeno)

Vídeo da “Pequena Professora Érica” sensibiliza e ocupação vai ganhar escola e casas dignas em Coelho Neto

O governador Flávio Dino(PCdoB) postou nesta terça-feira (16) em seu Twitter a ida do vice-governador Carlos Brandão (Republicanos) e do secretário de Educação, Felipe Camarão, ao município de Coelho Neto, distante 370 km de São Luís, para o anúncio oficial da construção de mais uma escola digna.

Mais uma, vírgula!

Ninguém questiona a importância de cada escola digna que tem sido entregue no Maranhão, mas essa tem um simbolismo ainda maior: vai ser construída numa ocupação que abriga a escolinha da “Professora Érica”, de 12 anos, filha de uma catadora de lixo, viralizada por meio de uma emocionante reportagem da jornalista Neyara Pinheiro, de Teresina.

O projeto da “Pequena-grande Érica”, como foi chamada pela repórter, começou numa brincadeira nos dias mais difíceis da pandemia. Uma brincadeira que virou tão séria quanto as frases e falas da Érica durante a reportagem, a exemplo da seguinte aspas:

Toda criança tem o direito de estudar, toda criança tem o direito de brincar e mesmo você tendo o papel de adulto, é como minha mãe fala:

– Érica, não deixe! Você nunca vai deixar de ser criança. Não quero te ver preocupada com outras coisas: você tem que brincar, tem que se divertir, tem que sair para lanchar, para ir ao parque…, você é uma criança. Você está fazendo esse papel de adulto, mas você sempre vai ser uma criança.”

Sensibilizado, como todos que viram a reportagem (reveja abaixo), o Governo do Estado, decidiu não somente pela dignidade por meio da educação ou pelo direito das crianças serem crianças, mas muito mais do que isso: resolveu realizar o sonho de uma vida digna dos pequenos e pais dessa comunidade carente que inclui desde as casas para essas famílias à escola digna, propriamente.

Notas do ‘Colunaço do Pêta’ sobre as derrotas de Weverton ainda repercutem

Repercutiu intensamente nos meios jornalístico e político o comentário do Colunaço do Pêta desse domingo, 17, a respeito de uma falsa ideia que estava sendo difundida, junto à opinião pública, de que o senador Weverton Rocha havia conseguido três derrotas seguidas contra o vice-governador Carlos Brandão.

Veja a íntegra das notas:

“Derrotado por Brandão no primeiro turno das eleições para prefeito de São Luís, quando o seu candidato Neto Evangelista perdeu para Duarte Júnior, apoiado pelo vice-governador na disputa para decidir as eleições com Eduardo Braide, o senador Weverton Rocha empata o ‘jogo’ ao eleger, novamente, como presidente da Famem o seu fiel aliado Erlanio Xavier.

É essa a leitura correta para o “jogo da sucessão 2022”, já desencadeado nos bastidores, que anda sendo equivocadamente interpretado por setores da mídia que, inclusive, chegam a atribuir a Weverton Rocha, também de forma errada, um terceiro ponto a seu favor na disputa pela Câmara Municipal de São Luís, que não teve qualquer participação de Carlos Brandão.

Na verdade, é equivocada a leitura de que Brandão foi derrotado duas vezes seguidas pelo senador Weverton Rocha com a vitória de Erlânio. Ele apenas empatou o jogo com Brandão. O primeiro “gol” foi marcado pelo vice-governador no primeiro turno das eleições recentes para prefeito de São Luís. Weverton lançou e apoiou Neto Evangelista, mas quem venceu e chegou ao segundo turno foi o candidato apoiado por Brandão, Duarte Júnior!!!

Weverton sentiu tanto o golpe, que, em represália, rachou a base de apoio do governador Flávio Dino e levou seu candidato Neto Evangelista a apoiar o candidato independente Eduardo Braide, que, assim, se elegeu prefeito da capital. A atitude de Weverton, de apoiar um candidato adversário do Palácio dos Leões, gerou um clima desconfortável junto ao governador Flávio Dino, que, afinal de contas, havia assumido o nome de Duarte Júnior no segundo turno. Desde então, não há notícias, nem rumores, de que os dois tenham conversado”.

Carlos Brandão não venceu na Famem, mas ganhou musculatura para 2022

O resultado da eleição da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), ontem (14-01), é um prato cheio para decifrar a ex-presidente da República, Dilma Rousseff, na sua célebre frase “Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”

O senador Weverton Rocha, com o enrolado Erlanio Xavier (com histórico de prisão por desvio de recursos da educação), venceu o pleito, naturalmente. Não com aquela estrondosa votação de 165 prefeitos, propagada bravateiramente pelo presidente reeleito e aliados. Foram 112 votos (53,8%) contra 96 (46,2%) para o representante da chapa 2, Fábio Gentil, prefeito de Caxias.

E é exatamente nesses 96 votos que se revela o primeiro entendimento sobre o que quis dizer a ex-presidente Dilma Rousseff em seu enunciado clássico. Fábio Gentil, que começou fazer campanha apenas 10 dias antes do pleito, conseguiu praticamente empatar o jogo diante de um oponente na cadeira, com muita “tinta pra queimar”.  

O prefeito de Caxias enfrentou muito mais do que um mero prefeito de uma cidade pequena (Igarapé Grande). Enfrentou na verdade uma estrutura montada na imprensa e muito bem articulada com os próprios gestores municipais. Mesmo assim, deixou a impressão de que se a campanha se estendesse por mais três dias, viraria o jogo facilmente.

O segundo entendimento sobre “ganhar mesmo perdendo” é lido exatamente na participação efetiva dos dois principais patronos dos concorrentes: Weverton Rocha e Carlos Brandão. O primeiro, “de férias” e com modos operandi conhecido no submundo, trabalhou diuturnamente, ora em Barreirinhas, ora no Rio de Janeiro. Teve prefeito que foi alcançado via telefone pelo grupo de Gentil e, inadvertidamente, revelou sua localização: “Cidade Maravilhosa, com Weverton Rocha, com o senador das gordas emendas”.

Mas não foi só contra essa “caneta sem tinta e um leão sem dente”, como próprio Erlanio, deselegantemente arrotou, que Brandão lutou ou vem lutando desde a eleição de São Luís. Ele vem batalhando contra tudo e contra a própria imagem que ganhou, espécie de mero cumpridor de missões para a China, para ficar bem longe dos Leões.

Desde a eleição de São Luís, no entanto, o vice-governador passou a protagonizar na cena política do Maranhão, perdendo eleitoralmente até aqui, sim, mas consolidando um grupo e ganhando musculatura para 2022. Nisso, portanto, ganhando, mesmo sem levar.

Os bastidores da eleição da Famem desde a disputa pelos maiores jantares

Embora na prática os seus resultados não representem muita coisa numa eleição estadual, a eleição para a Presidência da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem) sempre foi badalada, mesmo no momento em que foi decidida no consenso.

Mas esta ganhou contornos de pré-lançamento de candidatura para o governo estadual. De um lado, o governador em exercício Carlos Brandão, apoiando o prefeito de Caxias e do outro o famigerado senador Weverton Rocha, apoiando Erlanio Xavier (Igarapé Grande).

Desde ontem à noite, já se podia ver os movimentos típicos de campanha eleitoral. No auditório do Blue Tree Towers, com capacidade 200 pessoas, Fábio Gentil reuniu mais de 300 pessoas, entre elas, cerca de 80 prefeitos.

Já Erlânio, na casa do deputado federal Gil Cutrim, com o conselheiro Edmar Cutrim olhando atrás das cortinas, para não ser visto, conseguiu reunir apenas cerca de 10 prefeitos. Outros três jantares isolados em casas de aliados, também seguiu a mesma pegada, muito distante dos 152 prefeitos anunciados pelo candidato a reeleição.

Desde cedo, e provavelmente até às 17h, quando termina o horário de votação dos prefeitos, o clima segue típico de campanha. Carro de som, bandeiras e tudo que os publicitários recomendam para uma campanha completa. No vídeo abaixo, é possível ter uma clara noção desse clima.

Uma coisa é certa: estrutura para contribuir com 2022, a Famem, como sempre, não irá contribuir com quase nada, mas independente do resultado de hoje vai se ter uma noção clara de quem é quem, mesmo sendo secreto o voto dos prefeitos.

Carlos Brandão consolidará seu grupo com os apoios dos prefeitos e das lideranças que se manifestaram e Weverton, por sua vez, reafirma seu distanciamento com o governo do estado, o de agora, com Flávio Dino, e o do próximo ano, com o próprio Brandão.

Sobe a temperatura na eleição da Famem

A eleição da Federação dos Municípios do Maranhão (Famem), que acontece no próximo dia 14, já dominou os bastidores da política do Estado.

De um lado, o prefeito Fábio Gentil (Caxias), com seu padrinho não declarado, o governador em exercício, Carlos Brandão; do outro, Erlanio Xavier (Igarapé Grande), com seu parceiro, o senador Weverton Rocha, que, embora de férias, movimenta as peças do xadrez para tentar emplacar mais uma vez o atual presidente no comando da entidade.

Na agenda de hoje (06), além das declarações duras contra Carlos Brandão, logo pela manhã, Erlanio concede às 16h, entrevista coletiva, e Gentil, às 17h, oficializa o registro de sua chapa, que tem o prefeito de Barra do Corda, Rigo Teles como vice.

Gentil, a exemplo do que vem propagando Carlos Brandão, enalteceu o municipalismo no nome da chapa com o tema “A municipalização é para todos”.

Já Erlanio, que também exaltou o municipalismo, tentou rasgar seda para Flávio Dino, homenageando o pai do governador com o seguinte slogan: “Sálvio Dino: Municipalismo na prática”.

Com o tabuleiro armado, segue o jogo!

Imagem do dia! Marcio Jerry, Brandão e Marcelo Tavares juntos

O vice governador Carlos Brandão (Republicanos), que assume a interinidade do governo nesta terça-feira (05), atendeu hoje pela manhã a prefeita de Matinha, Linielda de Eldo (PCdoB). Ciceronearam a prefeita, os secretários Marcelo Tavares (Casa Civil) e Márcio Jerry (Cidades).