Aliado de Weverton destrava abertura de processo contra Josimar Maranhãozinho na Câmara Federal

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), destravou os pedidos de quebra de decoro contra deputados e liberou 22 representações ao Conselho de Ética da Câmara para que sejam instaurados processos contra parlamentares, entres eles, está o nome do deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL), acusado de desviar dinheiro de emendas.

No dia 03 de dezembro de 2021, foi protocolada uma representação contra Josimar por conta de um vídeo gravado pela Polícia Federal em que o parlamentar é flagrado carregando caixas com dinheiro em seu escritório. Os recursos seriam provenientes de desvios de emendas parlamentares.

As 22 representações estão sob o comando do deputado Paulo Azi (União Brasil-BA), que pautou sete delas, contra seis deputados, para esta quarta-feira. As outras vão ser agendadas para as próximas semanas, de acordo com a data de acontecimentos dos fatos.

PSOL e Rede pedem cassação de Eduardo Bolsonaro

Os partidos PSOL e Rede apresentaram ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados um pedido de cassação do mandato do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), após debochar em rede social das tortura sofrida pela jornalista Miriam Leitão durante a ditadura militar no Brasil.

Eduardo Bolsonaro publicou uma resposta a um artigo compartilhado pela jornalista na tarde deste domingo (3). Ela escreveu que o presidente Jair Bolsonaro é um inimigo confesso da democracia.

O deputado, então, respondeu: “Ainda com pena da [e acrescentou um emoji de cobra]”.

Miriam Leitão foi presa e torturada pelo governo militar durante a ditadura. A jornalista estava grávida e em uma das sessões de tortura foi deixada nua em uma sala escura com uma cobra.

No pedido entregue ao Conselho de Ética, assinado por parlamentares do PSOL e da Rede, as siglas classificam a declaração de Eduardo Bolsonaro como “abjeta, repugnante e criminosa”.

Argumentam, ainda, que “A cassação de Eduardo Bolsonaro é imperativa e urgente. Não há nenhuma condição moral e política dele permanecer à frente de qualquer cargo público”.

Mata Roma: Prefeito pode ter o mandato cassado por “Café”, bolinhos e compra de votos

O chamado “Café do Besa”, instrumento de campanha utilizado pelo prefeito eleito de Mata Roma, Besaliel Albuquerque (PDT), deve acabar saindo muito mais caro do que o planejado.

Nesta terça-feira (29), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julga Ação de Investigação Eleitoral que pede a cassação do prefeito por abuso de poder econômico e político em 2020.

De acordo com a denúncia, nos cafés realizados durante a campanha eleitoral, o prefeito fazia “farta distribuição gratuita de alimentos como forma de atrair mais e mais pessoas e [assim] obter vantagens eleitorais”.

Além das provas constarem nas redes sociais do próprio candidato, várias testemunhas confirmaram o benefício. “Toda noite era café com bolo, refrigerante, banana…”, relata um eleitor.

Realizados em várias regiões da cidade, quase que diariamente, durante a campanha, o prefeito anunciava os locais das edições dos próximos eventos em suas redes sociais.

“E ontem nosso Café foi no Povoado bebedouro, é gratificante demais ser tão bem recebido por vocês”, postou o prefeito à época, já convidando para o próximo evento (veja no print acima).

P.S.: O julgamento no TRE foi adiado para o próximo dia 7 de abril.