Disparos de robôs contra Brandão é denunciado à Polícia Federal

Desde a manhã de sábado (19) milhares de pessoas do Maranhão têm recebido ligações via celular tentando induzir o eleitor a acreditar que Weverton Rocha é candidato de Lula, e Carlos Brandão, de João Dória. A voz dos “disparos” é de robô.

Numa das perguntas, o robô pergunta: “você sabe que Carlos Brandão é candidato de Dória e de Sarney? Sim ou não?”. Na outra, indaga: “você sabe que Weverton é o candidato de Lula? Sim ou não?”.

A tática é suicida: se a PF descobrir o autor dessa fake news, a consequência é prisão imediata. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal estão sendo acionados.

A nova legislação é rigorosíssima contra crimes dessa natureza, mas parece que os autores não estão preocupados.

Um conhecido “açodado”, como são chamados os defensores da pré-candidatura de Weverton Rocha, por exemplo, já é famoso por criar vários grupos de WhatsApp e disparar neles mensagens contra adversários via diferentes números.

Essa prática também foi denunciada à Polícia Federal.

 

Acostumado com baladas em conveniências, Luciano Genésio compra cesta básica em “postos de gasolina”

A Prefeitura de Pinheiro comprou quase um milhão de reais em cestas básicas para atender a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. A empresa vencedora foi a R.S.T. Abreu Eireli, de Renato Serra Trinta Abreu, ganhou licitação no valor de 970 mil reais.  

A administração do Prefeito Luciano Genésio, no entanto, já havia contratado com uma empresa que era uma farmácia e passou a ser um posto de gasolina. O proprietário do posto é Danilo Jorge Trinta Abreu Júnior, irmão de Renato.

Só nos dois últimos anos, a empresa R.S.T. Abreu Eireli já faturou R$ 12.578.195,09 com a venda de produtos alimentícios e material de higiene para a prefeitura de Pinheiro. Os dois irmãos, que tem aproximação com o irmão do prefeito, Lúcio André, têm faturado milhões na prefeitura de Pinheiro.

Relatório da CPI dos Combustíveis é apresentado e aprovado na Assembleia Legislativa

A Comissão Parlamentar de Inquérito, aprovou, por unanimidade, nesta sexta-feira (09), o Relatório  Final das investigações que têm  por finalidade, apurar possíveis abusos e crimes relacionados à venda  de combustíveis, no Maranhão. Após a aprovação, o relatório foi enviado para que os órgãos competentes tomem as providências  necessárias.

Entre os encaminhamentos dados pelo relatório, há um direcionamento à Secretaria de Estado da Fazenda, representada Secretário Marcellus Ribeiro, para que tome ciência da não emissão regular de nota fiscal por 28 (vinte e oito) dos 186 (cento e oitenta e seis) postos da Grande Ilha.

Quanto às questões fiscais, a Rede de Postos Joyce, teve sua análise comprometida  em quase sua totalidade, por conta das inconsistências na apresentação das notas de compra e venda de combustíveis.

Contudo,  para tais irregularidades também foi solicitado para que diversos órgãos de polícia,  continuem as investigação, a fim de que sejam tomadas as medidas jurídicas cabíveis  e a responsabilização criminal dos administradores da Rede de Postos  Joyce, Rafaely de Jesus Souza e de Josival Cavalcante (Pacovan), por possíveis crimes cometidos.

No que se refere à prática de Cartel, recomenda-se ao Ministério Público, Defensoria Pública e Procon aprofundem as investigações nos 29 corredores de postos, onde as apurações apontaram um série de indícios  relacionados à combinação  de preços e aumentos abusivos.

Recomenda-se ainda que se faça um incentivo fiscal ao ICMS da gasolina, nos mesmos moldes do que já ocorre com o gás de cozinha. Por fim, que seja reconhecida a essencialidade da gasolina, por meio da legislação.

Participaram da votação do relatório  final da CPI dos Combustíveis, o Presidente, Deputado Duarte Jr, O Relator, Deputado Roberto Costa, além dos Deputados Ariston, Carlinhos Florêncio, Zito Rolim, Wellington do Curso, Ciro Neto e Ricardo Rios.

Bicho pegou! Tenente e um perito assassinados, enquanto um coronel toca o terror em áudio

O bicho pegou na Ilha desde o final da tarde de ontem após a morte do Tenente Coronel Ronilson (foto), da Polícia do Maranhão. Ele foi vítima de um suposto assalto na porta de sua casa, no Residencial Pinheiros.

O oficial era do Batalhão de Choque da PM e atualmente estava lotado no Fórum Desembargador Sarney Costa.

Em menos de 8 horas após o assassinato de Ronilson, o auxiliar de perito, Salomão Matos dos Santos, do Instituto de Identificação e estava em um carrinho de lotação, apenas com o motorista, quando percebeu o Renault branco atrás deles.

Temendo um assalto, pediu ao motorista que acelerasse. Ao se aproximarem da UPA do Parque Vitória, disse ao condutor do carrinho de lotação que adentrasse ao estacionamento. Já dentro do estacionamento, os ocupantes do Duster desceram e dispararam contra o auxiliar de perito, que morreu no local atingido com um tiro a altura do coração.

E para engrossar o caldo, circulou um áudio do Coronel Ivaldo (reformado) falando impropérios contra uma suposta fragilidade no comando da polícia e até certo ponto incentivando a justiça com as próprias mãos.

“Eu sempre disso isso, na ativa, na reserva, onde quer que eu esteja: bandido é bandido, só entende uma linguagem, que é a força. Agora que é a hora da Polícia Militar ir lá e ‘sentar o dedo’ em todo mundo, rapaz… porque não é possível um negócio desse: fica todo mundo calado, com medo de uns p….. desses; esses p….. pensam que são o quê, rapaz…?” pregou Cel. Ivaldo.

No áudio, o coronel reformado ofende o Comandante Geral da PMMA, Cel. Pedro Ribeiro, classificando-o como “apenas um office boy do secretário de segurança”, e sugere a saída de Jefferson Portela.

Ou seja, não bastassem os registros desses e de outros crimes das últimas 24 horas, ainda surge mais essa fala dura do Coronel Ivaldo para complicar ainda mais o meio de campo.

Exclusivo! 23 servidores da Câmara de Ribamar na mira da PF por recebimento irregular de Auxílio Emergencial

Pelo menos 23 funcionários da Câmara Municipal de São José de Ribamar estão na mira da Polícia Federal por recebimento irregular de benefícios do INSS, entre eles, Auxílio Emergencial e Bolsa Família.

No último dia 18 de novembro, a Polícia Federal deflagrou a Operação Resiliência, com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa especializada no cometimento de fraudes no auxílio emergencial, criado pelo Governo Federal para assegurar uma renda mínima aos brasileiros durante a pandemia do Covid-19.

Durante as investigações, identificou-se que os criminosos recebiam o auxílio fraudado em nome próprio e viabilizavam a fraude em nome de terceiros. As investigações também apontaram que o grupo era envolvido em diversos outros crimes, como fraudes ao FGTS e benefícios do INSS e tráfico de drogas.

A lista

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) já havia recomendando procedimentos administrativos disciplinares (PADs).

Servidores públicos não estão entre as pessoas que podem legalmente receber o Auxílio Emergencial, destinado a pessoas que precisem de ajuda financeira em decorrência da crise econômica agravada pela pandemia de Covid-19. Aqueles que o fizeram podem ser condenados pelos crimes de falsidade ideológica e estelionato, e serão obrigados a devolver o valor recebido indevidamente.

Entre os nomes relacionados, estão assessores diretos do presidente da Câmara, Beto das Vilas, como Eduardo Matias Silva dos Santos e Janilton Silva Nascimento.

Prefeito eleito da Ilha aparece em vídeo recebendo dinheiro sujo de Josimar

Conforme revelou o blog do Kiel Martins, num dos vídeos de posse da Polícia Federal (PF), que mostra o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) entregando dinheiro em espécie a uma pessoa, o beneficiado seria um prefeito eleito da Ilha.

Especula-se que estariam de posse da PF seis vídeos, áudios e um calhamaço de fotos comprovando o esquema.

Alguém arrisca dizer de quem se trata esse prefeito eleito? Façam suas apostas!