Deputados reagem à formação açodada de novos blocos na Assembleia Legislativa

A formação do novos blocos de atuação parlamentar na Assembleia Legislativa do Maranhão, com possível inobservância dos trâmites regimentais, transformou a sesão de ontem (09) numa das mais polêmicas dos últimos dois anos.

Depois de decidir não acompanhar o governador Flávio Dino (PSB) na escolha do candidato à sua sucessão, o presidente da Casa, Othelino Neto, foi questionado pelos deputados sobre a formação dos novos blocos, com interpretação duvidosa do regimento.

O ponto nevrálgico para a sessão polêmica foi, na verdade, a nomeação açodada do deputado Márcio Honaiser (PDT) para a presidência da mais importante comissão da Casa, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), aliado do pré-candidato ao Governo do Estado, o enrolado Weverton Rocha (PDT).

Segundo o deputado Duarte Júnior (PSB), as ferramentas utilizadas para a redefinição dos blocos e escolhas dos seus componentes colocou as prerrogativas dos parlementares em jogo. “Essa Comissão de Constituição e Justiça montada no apagar das luzes, presidida por membro do PDT, foi orquestrada para inviabilizar a gestão do próximo governador Carlos Brandão, que assumirá no dia 31 de março. Não podemos aceitar que essa casa, que defende a democracia, seja uma casa que atue de forma ditatorial”, vociferou.

Para o deputado Zé Inácio (PT), primeiro é preciso saber, de fato, quem é governo e quem é oposição. “Acho que o presidente tem sua convicção política e precisamos que isso fique claro porque a gente sabe como se portar aqui dentro desta Casa. O que não pode é fazermos um embate e dizer que não seremos oposição, fazendo uma dura oposição ao governo, ferindo o regimento interno da Casa”, observou.

Relatório da CPI dos Combustíveis é apresentado e aprovado na Assembleia Legislativa

A Comissão Parlamentar de Inquérito, aprovou, por unanimidade, nesta sexta-feira (09), o Relatório  Final das investigações que têm  por finalidade, apurar possíveis abusos e crimes relacionados à venda  de combustíveis, no Maranhão. Após a aprovação, o relatório foi enviado para que os órgãos competentes tomem as providências  necessárias.

Entre os encaminhamentos dados pelo relatório, há um direcionamento à Secretaria de Estado da Fazenda, representada Secretário Marcellus Ribeiro, para que tome ciência da não emissão regular de nota fiscal por 28 (vinte e oito) dos 186 (cento e oitenta e seis) postos da Grande Ilha.

Quanto às questões fiscais, a Rede de Postos Joyce, teve sua análise comprometida  em quase sua totalidade, por conta das inconsistências na apresentação das notas de compra e venda de combustíveis.

Contudo,  para tais irregularidades também foi solicitado para que diversos órgãos de polícia,  continuem as investigação, a fim de que sejam tomadas as medidas jurídicas cabíveis  e a responsabilização criminal dos administradores da Rede de Postos  Joyce, Rafaely de Jesus Souza e de Josival Cavalcante (Pacovan), por possíveis crimes cometidos.

No que se refere à prática de Cartel, recomenda-se ao Ministério Público, Defensoria Pública e Procon aprofundem as investigações nos 29 corredores de postos, onde as apurações apontaram um série de indícios  relacionados à combinação  de preços e aumentos abusivos.

Recomenda-se ainda que se faça um incentivo fiscal ao ICMS da gasolina, nos mesmos moldes do que já ocorre com o gás de cozinha. Por fim, que seja reconhecida a essencialidade da gasolina, por meio da legislação.

Participaram da votação do relatório  final da CPI dos Combustíveis, o Presidente, Deputado Duarte Jr, O Relator, Deputado Roberto Costa, além dos Deputados Ariston, Carlinhos Florêncio, Zito Rolim, Wellington do Curso, Ciro Neto e Ricardo Rios.

Dino anuncia Karen Barros para o Procon

A advogada Karen Barros está de volta à direção do Procon-Ma. O anúncio foi feito via Twitter pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

A indicação do nome de Karen faz parte de uma engenharia política de Dino para contemplar o deputado estadual, Duarte Júnior.

O parlamentar disputou as eleições de São Luís e chegou a ir para o segundo turno numa disputa acirrada com Eduardo Braide.

Duarte teve o apoio do governador Flávio Dino, representado de forma inciva pela figura do vice-governador, Carlos Brandão.

O próprio Dino pediu voto pessoalmente para Duarte.

Seguindo o exemplo dos Cutrim, Duarte foi casar em Cancún

Celebrar o amor e o matrimônio em Cancún parece que virou moda entre os emergentes da política do Maranhão. Foi assim com um membro do clã Cutrim, Glalbert, e agora, com o chamado “filho do povo”, Duarte Júnior, recém derrotado na eleição de prefeito de São Luís.

De acordo com foto que circula nos blogs da capital, o republicano foi oficializar seu amor na luxuosa Cancún, destino que já foi palco de um casório do deputado estadual Glalbert Cutrim.

Segundo informações da época, o ato contou com a presença de familiares das duas partes e até de amigos mais íntimos.

A bem da verdade, essa ostentação na família Cutrim não é apenas um ponto isolado na história de enriquecimento surpreendente da família. O próprio conselheiro Edmar Cutrim, apesar de sustentar hábitos simples de baixadeiro, nas rodas de bebidas faz questão de esnobar com os mais caros whisky da sua coleção.

Com irmãos e amigos, Glalbert brinda na festa de arromba ali no México

O outro filho do conselheiro, o atual deputado federal, Gil Cutrim, por exemplo, quando prefeito de São José de Ribamar, num sítio que estava sendo ofertado por R$ 5 milhões de reais há pouco tempo, fez uma festa de criança de dar inveja em bilionários. Isso sem falar de outros momentos de ostentação humilhantes para a população de São José de Ribamar.  

Aqui, você relembra o casamento do ano em Cancún do jovem Glalbert Cutrim.