Brandão afirma que continua disposto a conversar com Braide independente da sua decisão eleitoral

O governador Carlos Brandão (PSB) garantiu que mesmo diante da opção do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Sem partido), em apoiar a candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) estará de portas abertas para receber o gestor.

“Continuo de portas abertas para discutir os problemas de São Luís. Não quero saber desse tipo de disputa política. É muito importante o governador ter uma relação com o prefeito da capital, pelo menos relação institucional”, disse. E completou: “Se ele não quiser, paciência”.

Brandão informou, ainda, que conversou com Eduardo Braide após assumir o comando do Palácio dos Leões e reafirmou que estava de portas abertas independentemente da sua decisão eleitoral.

Gestão de Eduardo Braide abandona obra no Centro de São Luís

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, tem ignorado uma denúncia sobre a trafegabilidade da Rua da Mangueira, no Centro de São Luís.

Segundo informações, a destruição parcial do calçamento de paralelepípedos está impedindo o tráfego de veículos. Além disso, os moradores e as pessoas que trabalham nas imediações não conseguem exercer o seu direito de ir e vir.

Ainda segundo informações, a Prefeitura de São Luís já esteve no local, constatou a necessidade de recuperação urgente da via, mas ainda não retornou para executar o serviço, nem informou se a reconstrução do calçamento está no cronograma municipal de obras.

Cenário de guerra toma conta do Centro de Saúde de Fátima em São Luís

O prefeito Eduardo Braide simplesmente abandonou o Centro de Saúde de Fátima (SAE), localizado no Bairro de Fátima, em São Luís.

Pacientes que necessitam de atendimentos médicos e são encaminhados para o local, denunciam principalmente a péssima estrutura física da Unidade de Saúde.

Um dos principais pontos da reclamação está relacionado ao único banheiro existente no prédio para paciente. Uma placa informa que homens, mulheres, crianças e pessoas com deficiência precisam utilizar o mesmo sanitário. Além disso, a pia do banheiro está quebrada e também foi registrado a falta de água.

Como se não bastasse, não há fechadura no local e uma pessoa precisa ficar na porta vigiando no momento em que outra faz o uso do banheiro. Um segundo banheiro que funcionava no local está interditado há mais de 6 meses.

Os pacientes também relataram a falta de um depósito no local, já que nos corredores é possível observar pedaços de madeiras jogado no chão, cadeiras de rodas, balanças, mesas e cadeiras quebradas.

O local também sofre com a falta de iluminação adequada, além de fio descascado no teto.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) informou que a revitalização da Unidade Básica de Saúde Nossa Senhora de Fátima faz parte do plano de ampliação da Rede Municipal de Saúde, e será realizada conforme o cronograma de ações da Prefeitura de São Luís.

Eduardo Braide não responde porquê abandonou a obra no retorno do Caolho

Recentemente, a Prefeitura de São Luís, comandada pelo prefeito Eduardo Braide, esboçou a realização de uma obra no retorno do Caolho, na capital maranhense.

O fato despertou o interesse público após a Prefeitura de São Luís desistir e retirar equipamentos preliminares da suposta obra que seria realizada no referido local.

A denúncia chegou até o programa Xeque-Mate que se comprometeu com a população de São Luís em buscar respostas sobre o suposto abandono e desistência da obra.

Em contato com a Prefeitura de São Luís, o Blog do Matias Marinho questionou se havia de fato a intenção da realização de uma obra no Retorno do Caolho e se a resposta fosse “sim”, quais serviços seriam realizados e quais motivos levaram a gestão a desistir da obra.

A Prefeitura Municipal de São Luís não respondeu.

 

Eduardo Braide abandona obra no Conjunto Bequimão e causa transtornos aos moradores de São Luís

Uma obra inacabada no cruzamento da Avenida 1 com a Rua 7 no conjunto Bequimão, em São Luís, se tornou alvo de reclamações dos moradores da capital.

Segundo informações, a gestão de Eduardo Braide iniciou a obra, mas não deu continuidade. No local verdadeiras crateras atrapalham o tráfego de veículos e pessoas, aumentando o risco de graves acidentes na região.

“É constrangedor a gente tá passando aqui num serviço desse que deveria estar cem porcento e causa um transtorno tremendo pra todos os motoristas. Eles passaram aqui (prefeitura) quase um mês para fazer esse serviço, mas não ficou uma obra que a gente pudesse considerar satisfatória”, disse o inspetor de segurança Domingos Phill.

A ausência de operários e máquinas na obra indicam que a Prefeitura de São Luís deu o serviço como pronto, no entanto, os graves transtornos persistem.

Braide mente sobre construção do Hospital da Criança

Sem um pingo de escrúpulo, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, anunciou que vai estourar R$ 10 milhões para finalizar a obra do Hospital da Criança.

A obra foi paralisada após Eduardo Braide dispensar um convênio com o Governo do Estado do Maranhão que estava responsável pela obra, faltando 45 dias para a conclusão.

Em entrevista ao programa Xeque-Mate, o ex-secretário de Saúde, Carlos Lula, revelou que o município de São Luís informou que não tinha interesse de firmar uma parceria com o governo, no entanto, os motivos não foram informados.

“A obra do hospital era possível ser concluída em 45 dias. Só que para isso, o que a gente precisava? A gente precisava que as crianças saíssem de onde elas estão hoje instaladas. Obviamente a gente não ia fazer isso sem dá outro suporte para o município. Então para não criar só o problema (…) disponibilizei um hospital para o município de São Luís com todo o aparato necessário para que as crianças fossem bem atendidas (…) o município de São Luís informou que não tinha interesse, que não queria parceria e que eles próprios iam terminar a obra”, informou Carlos Lula.

O custo da obra feita pelo Governo do Maranhão, até aqui, não chega aos R$ 10 milhões prometidos pela gestão de Eduardo Braide.

Com o mesmo discurso ensaiado, o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes, afirmou que a primeira etapa da obra será entregue somente em dezembro. O release de Eduardo Braide também faltou com a verdade ao dizer que a obra estava parada desde 2016. “Com a medida, a Prefeitura de São Luís assume a obra, que estava parada desde 2016.”, diz trecho da propaganda.

O secretário Joel Nunes também foi na mesma linha “São sete anos que esta obra se arrasta, mas, agora, vem para melhorar e dar mais dignidade, mais qualidade e melhor infraestrutura para atender às nossas crianças”, disse sem explicar o motivo de não aceitar a conclusão da obra ainda no início deste ano.

Eduardo Braide só reconheceu que o Hospital da Criança está sob a sua administração depois que o apresentador do Alerta São Luís, Franco Monte, mostrou uma mãe na porta do hospital desesperada denunciando a falta de estrutura da unidade de saúde.

Relembre:

Braide segue com migué e não explica suspensão de convênio com o Estado para obra do Hospital da Criança

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, cedeu às pressões do programa Xeque-Mate e usou as redes sociais para anunciar que vai concluir a obra do Hospital da Criança.

Apesar de ser um dever do gestor público responder os questionamentos da população, Braide tem se esquivado de encarar de frente os moradores de São Luís e não tem respondido da forma correta os ludovicenses.

A falta de esclarecimento por meio de uma nota pública sobre a fala do ex-secretário de Saúde e pré-candidato estadual, Carlos Lula (PSB), que comentou sobre a recusa do prefeito de São Luís de não aceitar um convênio com o Governo do Estado para a reforma do Hospital da Criança por questões políticas, é um incomodo para a população ludovicense.

“A obra do hospital era possível ser concluída em 45 dias. Só que para isso, o que a gente precisava? A gente precisava que as crianças saíssem de onde elas estão hoje instaladas. Obviamente a gente não ia fazer isso sem dá outro suporte para o município. Então para não criar só o problema (…) disponibilizei um hospital para o município de São Luís com todo o aparato necessário para que as crianças fossem bem atendidas (…) o município de São Luís informou que não tinha interesse, que não queria parceria e que eles próprios iam terminar a obra”, informou Carlos Lula.

Segundo Carlos Lula, durante o seu primeiro mandato, o governador Flávio Dino (PSB) celebrou um convênio com o município de São Luís para a construção de um novo Hospital da Criança, com o objetivo de melhorar o atendimento e atender a demanda na capital.

No dia 30 de maio, mães de crianças que estão precisando de leito no Hospital da Criança se desesperaram e aos choros pediram uma intervenção do poder público para não olharem seus filhos morrendo no hospital.

Caos e desespero de mães chorando por leitos para seus filhos no Hospital da Criança é fruto de politicagem de Eduardo Braide

Em entrevista ao programa Xeque-Mate, o ex-secretário de Saúde e pré-candidato a deputado estadual, Carlos Lula (PSB), comentou sobre os problemas denunciados por mães de crianças que estão precisando de leitos hospitalares no Hospital da Criança. A instituição está sob o controle da gestão do prefeito de São Luís Eduardo Braide.

Segundo Carlos Lula, durante o seu primeiro mandato, o governador Flávio Dino (PSB) celebrou um convênio com o município de São Luís para a construção de um novo Hospital da Criança, com o objetivo de melhorar o atendimento e atender a demanda na capital.

“Na verdade, ali não é um hospital. Ali não tem um centro cirúrgico, leito de unidade intensiva. Ali na verdade tem leito de enfermaria e os leitos de ala vermelho improvisados. Então, de fato, é muita dificuldade, a criança não tem condições de ficar ali muito tempo, ainda mais crianças em estado grave”, disse o ex-secretário de Saúde do estado.

Ainda segundo Carlos Lula, por inúmeras razões, a Prefeitura de São Luís não conseguiu terminar o convênio e acabou devolvendo ao Governo do Estado do Maranhão, que decidiu concluir a obra do hospital.

“A obra do hospital era possível ser concluída em 45 dias. Só que para isso, o que a gente precisava? A gente precisava que as crianças saíssem de onde elas estão hoje instaladas. Obviamente a gente não ia fazer isso sem dá outro suporte para o município. Então para não criar só o problema (…) disponibilizei um hospital para o município de São Luís com todo o aparato necessário para que as crianças fossem bem atendidas (…) o município de São Luís informou que não tinha interesse, que não queria parceria e que eles próprio iam terminar a obra”, informou Carlos Lula.

No dia 30 de maio, mães de crianças que estão precisando de leito no Hospital da Criança se desesperaram e aos choros pediram uma intervenção do poder público para não olharem seus filhos morrendo no hospital.

O ex-secretário de Saúde destacou, ainda, que a Prefeitura de São Luís não informou os motivos da recusa e lamentou a não conclusão da obra que está causando danos irreparáveis à sociedade maranhense.

Relembre:

Braide não tem controle sobre empresário do transporte coletivo e ônibus andam caindo aos pedaços na capital

Sem controle sobre a gestão pública, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, volta a ser cobrado pela população ludovicense que reclamam da precariedade das estruturas do transporte público municipal.

Falta de para-brisa, assentos em estado de fragilidade e pneus ‘carecas’ são fatores que podem causar acidentes e levam risco de vida aos passageiros e motoristas de ônibus.

O número reduzido de coletivos que circulam na capital é outro ponto de insatisfação dos moradores de São Luís. A superlotação é mais uma vulnerabilidade da estrutura do transporte público.

“Como se não bastasse as ruas de São Luís são cheias de buracos, alguns ônibus desviam suas rotas e não chegam até os passageiros. Os coletivos não são higienizados, são todos velhos e quebrados. As vezes temos descer de ônibus que dão prego e esperar um pior ainda”, disse uma passageira.

Só agora Roberto Rocha lembrou que São Luís existe, depois do apoio de CazumBraide?

O senador Roberto Rocha (PTB) esperou o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, declarar apoio à sua pré-candidatura para poder anunciar que enfim poderá trabalhar em benefício de São Luís.

A declaração incoerente veio em forma de agradecimento. “São Luís pode contar com muitas parcerias e projetos”, disse Roberto Rocha senador há 8 anos.

A capital São Luís vive um verdadeiro pesadelo sob a gestão de Eduardo Braide, e, Roberto Rocha que ainda é senador, nada fez para acabar com as crises do transporte público, infraestrutura e educação. O que leva a reflexão e o questionamento da população ludovicense: o que mudou agora?

O senador terminou o seu agradecimento destacando que o Maranhão precisa de mais trabalho e menos politicagem. No entanto, há pouco tempo o senador elaborou um golpe político que resultou na tomada da presidência do PTB, do ex-prefeito de São Pedro dos Crentes, Lahesio Bonfim (PSC).