Vice-governador frustra adversários, faz diferente, e cai nas enchentes no socorro às vítimas

Carlos Brandão em Mirador, um dos mais castigados pelas fortes chuvas

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) deixou tonta uma parte da chamada ‘galera açodada’, na mídia, que torcia para que o tucano não suspendesse seu recesso anual para ajudar o governador Flávio Dino (PSB) no enfrentamento dos danos causados em função da elevação do nível dos rios do Maranhão.

Em repouso no Palácio dos Leões, tratando da contraída Covid-19, Flávio Dino necessitou da presença efetiva do seu vice, que não envidou esforços em interromper seu recesso para ajudar o governo e a população ribeirinha. Após chegar na madrugada em São Luís, já nas primeiras horas da manhã de hoje (07), junto com o staff do governo que atua diretamente na situação, Brandão embarcou para os principais municípios atingidos.

Antes disso, concedeu entrevista ao Bom Dia da TV Mirante, prestando conta previamente de sua atuação.

Carlos Brandão agiu bem diferente de como agia, por exemplo os atuais integrantes de parte dessa galera açodada, na política, que quando em cargos de comando executivo, deixava o município jogada às traças e seguia para curtição nos Estados Unidos, Chile, Europa ou para outros estados da federação em momentos cruciais vividos pela cidade.

O ex-prefeito Gil Cutrim (São José de Ribamar) curtindo jogo no estádio Mineirão com seu secretário de Obras, num momento em que várias ruas da cidade estavam infrafegáveis, mais parecendo a superfície da Lua.

A título de exemplo, basta lembrar a desastrosa gestão do então prefeito Gil Cutrim (São José de Ribamar), que de tanto acabar com diversas políticas públicas e deixar a cidade jogada às traças, ganhou a alcunha de ‘Gil Cupim’. Ele costumava fugir do município por vários dias, sem a menor preocupação com as tragédias que ocorriam.

Bem diferente do que fez o vice-governador,  que retornou imediatamente às suas responsabilidades.

Isso para não falar, em termos comparativos, do senador Weverton Rocha (PDT), que costuma sumir às escondidas para a Europa, sem dar qualquer satisfação, como aconteceu recentemente.

Mas essa é outra história…

Carlos Brandão leva socorro aos desabrigados em Colinas, Mirador, Grajaú e Imperatriz

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) seguiu nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (7) em missão a quatro cidades maranhenses atingidas pelas fortes chuvas no Maranhão.

Brandão estava no seu recesso anual mas interrompeu quando foi possível logo que tomou conhecimento da gravidade da situação no Estado com o aumento do nível dos rios, causando enchentes em diversas cidades e inúmeros prejuízos às populações ribeirinhas.

Ele seguiu acompanhado dos secretários Carlos Lula (Saúde), Clayton Noleto (Infraestrutura) e Coronel Célio Roberto (Corpo de Bombeiros), o vice-governador Carlos Brandào estará em Mirador, Colinas, Grajaú e Imperatriz.

“O Governo do Maranhão segue agora para Mirador, Colinas e Grajaú. Ainda hoje, estaremos em Imperatriz. Seguimos com Carlos Lula, Clayton Noleto e Coronel Célio Roberto para atender a população, os gestores e minimizar ainda mais os efeitos das enchentes nas cidades, com medidas efetivas”, anunciou ele em entrevista pela manhã, antes de seguir para as cidades.

Essa é a segunda vez que o Governo do Maranhão envia equipes às cidades atingidas pelas fortes chuvas com entrega cestas básicas, medicamentos, além de comandar as ações para a retirada das famílias dos locais de riscos.

TBT: Em gestão de Weverton, colchões que iriam para enchetes sumiram

Não é de hoje que o senador Weverton Rocha (PDT) enfrenta problemas com enchentes. Já tá provado que ele só entra errado quando o assunto é enchente.

A matéria no print acima do saudoso Décio Sá trata de colchões que foram adquiridos por ele, no governo do finado Jackson Lago, para atender famílias desabrigadas de Pedreiras e Trizidela do Vale.

Nesta semana, em Imperatriz, Rocha acabou contraindo COVID-19. Mas antes, abraçou e cumprimentou centenas de pessoas e concedeu várias entrevistas, algumas dessas sem uso de máscara.

O conteúdo da matéria publicada no Imirante foi denunciado pelo Ministério Público, virou processo, mas acabou sendo arquivado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Até agora, no entanto, os colchões não apareceram. Weverton, em defesa, diz não saber do destino dos produtos adquiridos com recursos públicos.

Prefeito de Imperatriz segue dando milho aos pombos, inerte no enfrentamento do problema das enchentes

Enquanto o governador Flávio Dino (PSB), mesmo acometido da Covid-19, envida todos os esforços no enfrentamento dos efeitos das fortes chuvas que atingiram o Maranhão no últimos dias, o prefeito da segunda maior cidade do Estado, aliado político de primeira hora do senador Weverton Rocha (PDT), Assis Ramos (DEM), tem se mostrado letárgico, como que esperando apenas ações do governo estadual.

Reeleito prefeito de Imperatriz em 2020, Assis Ramos mostra preocupação zero com a situação dos desabrigados do seu município. Anos após anos a cidade sofre com as cheias do Rio Tocantins, mas mesmo assim não há qualquer ação antecipada e sólida para amenizar o sofrimento das comunidades ribeirinhas.

A letargia até parece proposital. O município não faz praticamente nada, sabendo que o Governo do Estado fará a intervenção emergencial, como já está acontecendo.

Nesta quinta-feira (06), por exemplo, o governador Flávio Dino decretou em todo Maranhão estado de calamidade pública. Nos próximos dois dias, sexta e sábado, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), que interrompeu seu recesso, percorre os municípios mais castigados com as chuvas, incluindo Imperatriz.

Na bagagem, o vice-governador, acompanhado dos secretários e da Defesa Civil, que já estão atuando nessas regiões, leva ações efetivas, incluindo produtos emergenciais, como cestas básicas, atendimento em saúde, além de soluções relacionadas à moradia, cuja medida irá melhorar a vida dos ribeirinhos a médio e longo prazos.

Entretanto, enquanto isso acontece, o prefeito de Imperatriz segue como que “dando milho aos pombos” em suas fazendas, letárgico, insensível e com ações zero no enfrentamento do problema.

Lamentável.

Carlos Lula mobiliza corrente de solidariedade para ajuda às vítimas das enchentes no Maranhão

As fortes chuvas e as enchentes nas cidades de Grajaú, Barra do Corda, Mirador e Imperatriz deixaram centenas de maranhenses desabrigados. Nesta terça (4), o secretário de Saúde do Estado, Carlos Lula, falou à população através das redes sociais sobre as primeiras medidas em socorro as vítimas.

“O Governo do Maranhão tem feito sua parte. A Secretaria tem mandado médicos e medicação, cestas básicas estamos, através da Sinfra, reconstruindo essas cidades”, informou no vídeo.

Para intensificar a ajuda, o secretário também mobilizou os servidores de toda a rede estadual de saúde na capital e interior para doação de alimentos não-perecíveis.

“A gente tá pedido o seu auxílio para que a gente possa fazer uma grande doação de alimentos e mantimentos para as famílias dessas cidades, que perderam suas casas e vão ter que reconstruir as suas vidas”, sensibilizou.

Os alimentos serão recebidos nos setores administrativos de todas as unidades de saúde da rede da Secretaria e na sede, em São Luís.

Carlos Brandão vai levar ações emergencias para regiões alagadas pelas enchentes

O vice-governador Carlos Brandão (PSDB) vai visitar na próxima sexta-feira (07)  as cidades de Barra do Corda, Mirador e Grajaú.

A visita vai acontecer após vistoria ténica que está sendo feita por uma equipe designada pelo governador Flávio Dino (PSB), acometido pela Covid-19.

Carlos Brandão deve levar, já na sexta-feira ações efetivas para amparar os desabrigados das enchentes desses municípios.

“Nosso Governo tem acompanhado de perto a situação das enchentes em nosso estado. Nossas equipes estão focadas em dar o apoio e o auxílio necessários aos municípios afetados”, afirmou Brandão.