“Amigo do Lula no Maranhão só tem dois: Flávio Dino e Sarney”, dispara Zé Reinaldo

Em entrevista ao programa Xeque-Mate, da rádio Mais FM, o ex-governador José Reinaldo Tavares disse que no Maranhão, os amigos de Lula são dois: “Flávio Dino e Sarney”.

A declaração foi feita após provocação sobre a propalada amizade do senador Weverton Rocha (PDT) com o ex-presidente Lula, como trunfo para decidir a eleição de outubro próximo em favor do pedetista.

“O Weverton, no meu modo de ver, tá buscando como última esperança o apoio do Lula à candidatura dele, mas isso é relativo porque quem é amigo do ex-presidente mesmo, no Maranhão, são dois: um é Flávio Dino e o outro é o Sarney. E os dois estão com Brandão”, cravou.

O ex-governador fez um apanhado da relação dos dois com Lula. Para ele, isso vai muito além do trunfo de uma visita feita ao ex-presidente.

“O Flávio Dino [por exemplo] entrou num embate muito forte com o Sérgio Moro, em favor de Lula, num momento em que o então juíz estava muito forte [comandando a mais temida operação de todos os tempos, quando praticamente todos os políticos se recolhiam temendo que seus podres fossem expostos]. O Flávio não pensou duas vezes”, lembrou Tavares.

Pera o ex-governador, já está provado que o petista sabe reconhecer essas demonstrações de apoio, tanto do Sarney quanto do Lula. “Conheço o Lula, ele não esquece dos favores que são feitos pra ele”, completou.

Sobre a decisão de Weverton de não apoiar o pré-candidato do governador Flávio Dino e seu grupo, o ex-governador disse ter visto isso como uma precipitação: “Ele se precipitou, não quis fazer o acordo e partiu para o tudo ou nada.

No link abaixo você tem acesso à entrevista completa:

 

 

Zé Reinaldo fala ao Xeque-Mate nesta quinta-feira na Mais FM

DO BLOG DO ÍTALO

O ex-governador e atual diretor de Relações Institucionais da EMAP, José Reinaldo Tavares do PSDB será o entrevistado desta quinta-feira do programa Xeque Mate da Rádio Mais FM.

Lógico que o tema central da entrevista será o cenário político estadual e nacional para as eleições de 2022.

Zé Reinaldo é um dos maiores entusiastas da pré-candidatura do vice-governador Carlos Brandão ao governo do Maranhão. É um dos políticos mais respeitados do Maranhão e até hoje exerce uma forte influência na política do nosso estado.

Tavares  foi vice-governador de 1995 a 2002 e governador de 2003 a 2006, o último cargo eletivo que exerceu foi o de deputado federal entre 2015 e 2018.

Vale a pena conferir a entrevista de um dos baluartes da política do Maranhão.

O programa Xeque Mate é apresentado pelos jornalistas Matias Marinho e Pedro de Almeida e vai ao ar de segunda a sexta das 18 às 19 horas nas ondas da Rádio Mais FM 99,9.

Segue o link da rádio na internet:

https://www.mais.fm.br/

Comandante Schynaider reafirma apoio ao vice-governador Carlos Brandão

Em 2020, nas últimas eleições municipais, o Comandante Schynaider teve seu primeiro desafio eleitoral lançando-se candidato a prefeito de Timon. Só 375 votos separaram Schynaider da vontade do timonense de arrancar o atual grupo do poder.

A eleição passou e, hoje, a prefeita biónica do grupo dos Leitoa convive com a rejeição de 60% da população.

Quase um ano e meio depois o Comandante Schynaider é colocado na posição de liderar o contraponto à atual gestão. “Assim como o governador Carlos Brandão, eu acredito no Maranhão”, disse Schynaider ao programa Xeque-Mate, da Rádio Mais FM, nesta quarta-feira (26).

O líder político timonense é pré-candidato a deputado estadual e também terá o desafio de retribuir o apoio do vice-governador Carlos Brandão nas eleições passadas. “Assim que terminou a eleição, declarei o apoio [à Brandão] e avisei a população sobre a minha posição para este ano eleitoral”, disse sem titubear.

A presença de outras forças da oposição na cidade, a exemplo da deputada Professora Socorro Waquim e do deputado Rafael Leitoa, não desencorajou o pré-candidato de apostar em uma cadeira na Assembleia Legislativa e na base do vice-governador. “Temos que ter mais representação da região Leste na Assembleia Legislativa”, disse, sem atacar seus adversários locais.

Ouça no Spotify a entrevista completa:

Deficientes na interpretação de texto, “Açodados” de Weverton tentam queimar Brandão, Dino e Sarneys

O desespero bateu a porta dos “Açodados”, como são chamados os defensores da pré-candidatura do senador Weverton Rocha (PDT).

Desde a declaração de apoio do deputado estadual Adriano Sarney (PV), durante confraternização realizada pelos apoiadores da pré-candidatura do vice-governador Carlos Brandão (PSDB), na última quinta-feira (17), os “Açodados” iniciaram  uma verdadeira campanha para tentar estigmatizar o tucano por conta do possível apoio do grupo Sarney.

Na ânsia de atacar o vice-governador, esconderam até aliados políticos e de negócios, como o questionável empresário Edinho Lobão (MDB), mais conhecido como Edinho Trinta, numa prova prática da fala de Adriano com relação aos adversários de Carlos Brandão, que costumam “esconder seus aliados” (relembre aqui).

Até em coluna de revista nacional, possivelmente paga, destacaram o apoio de egressos do grupo Sarney, como se fosse algo ruim, desconsiderando, inclusive, que grande parte destes está há anos apoiando o grupo do governador Flávio Dino (PSB), cuja base o senador Weverton Rocha diz pertencer.

E para agravar o desespero, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (21), os açodados espalham trecho  de uma entrevista do governador Flávio Dino ao Bom Dia, da TV Mirante (do grupo Sarney), na qual realçou sua opção pelo nome do vice-governador para sua sucessão, mas lembrando que o processo de escolha ainda está em curso.

Após isso, no entanto, respondeu a uma provocação do próprio Weverton Rocha, reproduzida pelo entrevistador,  jornalista Clóvis Cabalau, que disse que o pedetista teria dito que “união não é adesão” e, nesse sentido, insistiu se Dino acreditava que não havia divisão em torno dessas divergências.

“Tenho muita confiança na união. E eu mudaria, claro, a minha posição, se a maioria a rejeitasse” respondeu o governador, argumentando ainda no sentido de que a maioria dos partidos, deputados e prefeitos estão acompanhando a sua decisão e, só, e somente só, caso não estivesse tendo esse apoio mudaria sua escolha.

Aqui você assiste a entrevista completa e constata mais um açodamento com requintes de desespero da “Galera Açodada” do Senador Weverton Rocha.

Felipe Camarão em Ribamar neste sábado. Fique ligado!

O programa “Faro News”, da rádio Verdes Mares de São José de Ribamar, entrevista, em sua audição deste sábado (27), o secretário de Educação do Estado, Felipe Camarão.

Tiago Prado, titular do programa, vai abordar assuntos relacionados, à educação, naturalmente, mas certamente vai incluir questões políticas na pauta.

Camarão tem sido um dos secretários presentes no município, sobretudo na atuação relacionada à pasta.

Todos atentos à Verdes Mares neste sábado. Mas detalhes no card acima.

Ciro Gomes começa a apanhar de Lula: ‘Se ele quer ser presidente, tem que respeitar as pessoas’


O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) respondeu às críticas feitas contra ele pelo ex-ministro Ciro Gomes (PDT), seu atual rival no campo da esquerda. Lula pediu “maturidade” ao pedetista.

“Ele (Ciro) não pode falar de meninice. Se ele quer ser presidente, ele tem que respeitar as pessoas. Ele tem primeiro que se reeducar”, disse Lula, ao responder a uma pergunta da CNN sobre a possibilidade de uma frente ampla com Ciro, mesmo após o ex-ministro dizer ontem que o petista não pode ser considerado inocente das acusações de desvio de dinheiro em seu governo.

“Porque se ele continuar com essas grosserias todas, ele não vai ter apoio da esquerda, não vai ganhar confiança da direita e vai ter menos votos do que nas eleições que ele participou até agora. Ele tem que aprender, porque humildade não faz mal a ninguém”, respondeu Lula.

“Não é possível alguém passar a ideia de ser inteligente, de que leu tanto e ser tão ignorante. Ele acha que é professor de Deus.”

Ontem, Ciro disse que Lula foi perseguido injustamente pelo ex-juiz Sergio Moro, mas “não é que o Lula seja inocente”. “Conheço o Lula de longa data. A ladroeira e a corrupção fazia parte do modus operandi do governo Lula e do governo Dilma.”, disse Ciro. “A mim, eles não me enganam.”

“Ele acha que ele é o quê? Se aos 64 anos ele, não aprendeu, ele tem chance ainda. Mas se ele chegar aos 70 com essa ignorância ele não vai aprender mais nada”, completou Lula.

Indefinição sobre 2022

Mais cedo, Lula afirmou que ainda não definiu se será o candidato do Partido dos Trabalhadores na eleição presidencial de 2022. “A minha cabeça não tem tempo para pensar em candidatura em 2022”, disse.

“Eu seria pequeno se estivesse pensando em 2022 nesse instante. No ano de 2022, o partido vai pensar quando chegar o momento de fazer as suas convenção e discutir se terá candidato, ou se será candidato em uma frente ampla”, afirmou.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de uma composição política ampla com base em alianças com o centro e setores do empresariado, Lula disse que só será possível definir a criação de uma frente fora do espectro da esquerda no momento da escolha dos candidatos.

“O Partido dos Trabalhadores precisa colocar as suas lideranças para andar o país”, disse.

Segundo Lula, a criação de problemas menores pode inviabilizar a construção de alianças políticas. “Eu estou convencido de que ela (aliança) será possível, por isso nós precisamos ter paciência”.