Perseguição? Gestão de Luciano Genésio em Pinheiro, de novo, na mira da PF

 

De novo? Deve ser perseguição da Polícia Federal (PF) ao valentão de Pinheiro!

Para entender as informações da frase acima, veja o vídeo.

O certo é que hoje (23), nas primeira horas da manhã, agentes PF deflagraram nas cidades de São Luís, Pinheiro, São Bento e Peri-Mirim-MA, a “Operação 5ª POTÊNCIA”, com a finalidade de desarticular esquema criminoso voltado a promover fraudes licitatórias, superfaturamento e simulação de fornecimento de gêneros alimentícios da Merenda Escolar, com desvio de recursos públicos federais do programa FNDE/PNATE – (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – Programa Nacional de Alimentação Escolar).

Ao todo, cerca de 80 policiais federais deram cumprimento a 18 (dezoito) Mandados de Busca e Apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que decorreram de representação elaborada pela Polícia Federal.

Os mandados tiveram como alvos endereços comerciais e residenciais de agentes políticos na cidade de Pinheiro/MA e Peri-Mirim/MA, ex-agentes políticos do município de São Bento/MA, sede de Associações de Agricultura Familiar da Baixada Maranhense, bem como endereços residenciais e comerciais de pessoas ligadas a empresas de São Luís/MA.

O objeto da apuração diz respeito a irregularidades em contratos firmados entre as prefeituras de Pinheiro/MA, São Bento/MA e Peri-Mirim/MA e Associações de Agricultura Familiar. O grupo criminoso se aproveitou da determinação contida na Lei 11.947/2009, a qual prevê que, do valor total repassado pelo FNDE aos entes públicos para custeio do PNATE, pelo menos 30% deve ser utilizado na compra de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar e do empreendedor familiar rural local.

Ocorre que as entidades contratadas, mediante Chamadas Públicas fraudadas e direcionadas, são geridas na realidade por agentes públicos que fazem parte do esquema, e não possuem a mínima capacidade econômica e operacional para o fornecimento da absurda e desproporcional quantidade de alimentos declarados nas notas fiscais e nos contratos.

Como exemplo, em apenas um ano a Associação Rural contratada declarou o fornecimento (já no final do ano letivo) de 420 kg de alface; – 200 kg de cheiro verde; – quase 35 mil unidades de pão caseiro; – 350 kg de erva vinagreira, 40.600 unidades de banana, etc, quantidade de alimentos esta inviável de ser produzida no local e desproporcional à quantidade de alunos matriculados.

Falso valente, Luciano Genésio dispara contra Flávio Dino em evento de Weverton Rocha

 

Conhecido por sua falsa valentia, o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP), utilizou da sua verborragia peculiar para mandar duro recado ao Governo.

“Não posso ficar refém de um governo que acha que manda e desmanda nos prefeitos do Maranhão”, disse durante evento de filiação dos 400 novos membros fantasmas do PDT na noite da última sexta-feira (18).

Subjudice no cargo, o prefeito afastado por suspeita de desviar milhões com pagamento direto da empresa contratada pela Prefeitura para contas pessoais, nem tremeu ao disparar o absurdo desforo que segue a linha do seu chefe, Weverton Rocha (PDT), tanto na verborragia como nos processos a que responde na Justiça.

Pior, tentando criar uma narrativa favorável aos crimonosos, com o famigerado argumento de perseguição, emendou:

“Somos macho para enfrentar perseguição e recentemente enfrentei uma e era você (Weverton) que estava do meu lado”.

Abaixo, um texto que retrata bem os motivos da “perseguição”:

Operação Irmandade: Conheça “Os Irmãos Cebola” e seus vírus espalhados na política do Maranhão

Em tempo, no link abaixo, veja vídeo que mostra Genésio num antigo surto de macheza, sendo que quando foi pego pela Polícia Federal ficou pianinho como uma moça bem educada:

https://www.youtube.com/shorts/vETVFTtDT9k

Operação Irmandade: Conheça “Os Irmãos Cebola” e seus vírus espalhados na política do Maranhão

Danilo Trinta, o “Cebola Boa Praça” e operacional…

Na última semana, o mundo político das “terras do Sarney” foi sacudido com a “Operação Irmandade” da Polícia Federal, resultando no afastamento do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio (PP), do cargo.

Embora o nome da operação remonte a uma certa “irmandade” criada no Maranhão, tendo como protagonistas deputados federais, prefeitos e até senador da república, gerando uma promiscuidade escandalosa nos cofres públicos, o batismo teve a ver mesmo com dois dos seus personagens investigados: os “Irmãos Cebola”.

Trata-se de Danilo Trinta e Renato Trinta.

Apesar de serem filhos do ex-prefeito de Palmeirândia, Danilo Trinta, não foi por isso que os dois “meninos” acabaram virando alvos da Polícia Federal.

Renato Trinta, o “Cebola Cabeça” e o mais farrista…

A relação de amizade dos dois com Luciano Genésio foi sem dúvida o chamariz para que os agentes da Polícia Federal chegassem ao “engaiolamento” dos dois e ao afastamento do prefeito do cargo.

Os três eram notícia constante sobre altas farras regadas a whiskys caríssimos, voos de jatinho e de helicóptero para Barreirinhas na hora que dava na telha.

Para sustentar seus luxos e esbórnias, as empresas Ingeo Ambiental LTDA, R. S. T. Abreu EIRELI e Posto Kiefer EIRELI, de propriedade dos “Cebola” eram utilizadas para patrocinar todo o exibicionismo, pedantismo, poderio econômico e político, numa transação de algo em torno de R$ 50 milhões, de forma tão primária quanto os motivos que levavam os três playboys de Pinheiro a movimentarem ingenuamente, do ponto de vista fiscal, os recursos públicos para os ralos da corrupção.

Note-se que os caminhos dos desvios, a exibição de poder, do luxo e da luxúria seguem os mesmos modus operandi já identificados pela polícia e por quem acompanha política, especialmente nos nichos onde estão certos inquilinos importantes da política do Maranhão.

Seja na Famem, Senado ou Câmara Federal, há sempre um posto de gasolina e um pulinho aéreo para Barreirinhas no caminho…

Nitroglicerina = Tadinha da Irmã Eliziane + Vacinas Que Salvam Gestão + Prender ou Não o Valente?

Tadinha da Irmã Eliziane

1 – Pense em alguém que a todo momento está sendo vítima de golpe: a irmã Eliziane Gama. A coluna já perdeu as contas da quantidade de vezes que a senadora vem a público denúnciar que foi vítima de clonagem, disso e daquilo outro.

O último comunicado de golpe foi feito anteontem. Através da sua assessoria, Eliziane informou que criminosos estão se fazendo passar por assessores parlamentares em contato com prefeituras solicitando depósitos em contas para liberação de doações para vítimas das enchentes.

Dizem que já tem uns dois comunicados prontinhos para serem publicados futuramente, um deles o golpe seria por parte de alguém com três CPFs. Será?

Vacinas Que Salvam Gestão 

2 – Que vacinas salvam vidas, só Bolsonaro mente que não acredita.  Agora, que ela salvam imagem de prefeito, o Eduardo Braide não tem a menor dúvida.

Quando o efeito da vacinação de adultos perdeu sua força, a sujeira do tapete da gestão do homem começou a aparecer e os protestos e sua incapacidade de administrar começaram a ser vistos pela população de São Luís.

Mas para felicidade geral do prefeito e apaniguados eis que surge agora a vacinação infantil. Já nas primeiras horas da manhã, com a agulha seca ainda, lá estava ele nas emissoras de televisão dando entrevista. Pense!

Prender ou Não o Valente?

3 – O vídeo acima foi o que teve maior quantidade de visualização na Polícia e Justiça Federal nos últimos dias.

Nos celulares dos agentes da Superintedência da PF no Maranhão e nos smartphones do pessoal do Tribunal Regional Federal da 1ª Região foi o pau que rolou.

Dizem que até na hora da divergência que houve sobre prender o não prender o prefeito, reapresentaram o vídeo como argumento para decidir se encaravam ou não o valente.

Um sensato analisou que era melhor afastá-lo do mandato e deixar para descobrir essa macheza doravante.

Aguardemos!

Pinheiro: Em material de limpeza, alvo da Polícia Federal faturou quase R$ 600 mil só em dezembro

A Prefeitura de Pinheiro, sob a gestão de Luciano Genésio (PP), foi alvo de uma operação da Polícia Federal batizada de “Irmandade” em alusão à prática de corrupção, segundo a polícia, do prefeito afastado Luciano, seu irmão e amigos.

Somente uma empresa dos “irmãos Trinta”, que também foram alvo da PF, faturaram quase R$ 600 mil, em contratos, somente em dezembro.

Danilo e Renato Trinta tiveram dois contratos celebrados com Luciano Genésio no valor de R$ 586.136,35. A empresa, que ganha contratos com facilidade em Pinheiro, é a R. S. T. ABREU EIRELI.

No início de dezembro, a empresa dos “irmãos Trinta” assinou um contrato de aquisição de material de limpeza, expediente, higiene pessoal, copa e cozinha, segundo dados coletados do Tribunal de Contas do Estado. Só nessa celebração a cifra ficou cravada em R$ 215.838,40.

Outro contrato celebrado entre a empresa de Danilo e Renato Trinta foi para a aquisição de gêneros alimentícios para atender secretarias (diversas) no município. Nessa ‘oportunidade’, os irmãos foram agraciados pela gestão de Luciano Genésio com R$ 370.297,95.

Saque e depósito 

Segundo o delegado federal Roberto Costa, em entrevista à imprensa nesta quarta-feira (12), a suposta organização criminosa repassava o dinheiro para o prefeito Luciano Genésio logo após receber da Prefeitura de Pinheiro. Havia, ainda segundo o delegado, três formas do dinheiro chegar até o destinatário principal, no caso Genésio.

A primeira é em depósitos diretamente na conta do gestor público. No mesmo dia do pagamento da prefeitura para empresa ou um, ou dias depois. A segunda forma é por meio do saque na boca do caixa e o dinheiro é repassado em espécie à Luciano. A terceira forma era por meio de intermediários indicados pelo gestor.

Só nessa operação deflagrada pela Polícia Federal, os investigadores identificaram o suposto desvio de R$ 38 milhões. Danilo e Renato Trinta, por outro lado, já celebraram quase R$ 50 milhões com o prefeito Luciano Genésio por meio de suas empresas.

A Polícia Federal acredita que Genésio é o verdadeiro dono das empresas alvo da Operação “Irmandande”. O irmão de Genésio, Lúcio André, tem procuração com plenos poderes sobre as empresas.

Em entrevista ao Xeque-Mate, Leonardo Sá diz não acreditar na volta de Luciano Genésio

Em entrevista ao programa Xeque-Mate, da rádio Mais FM, nesta quarta-feira (12), o deputado estadual Leonardo Sá (PL) disse não acreditar mais na volta do prefeito Luciano Genésio para o comando da prefeitura de Pinheiro

Segundo o deputado, a situação do prefeito afastado é difícil na Justiça.

O gestor foi afastado do cargo em atendimento a uma decisão da Justiça Federal, após ser alvo da operação Irmandade da Polícia Federal realizada nas primeiras horas da manhã de hoje. Entre as ações chamou a atenção a apreensão de muito dinheiro em espécie e um relógio da marca Rolex avaliado no valor de R$ 150 mil (na foto acima).

“Isso, eu tenho certeza, é a ponta do iceberg da situação. A gente sabia , eu disse na Assembleia [Legislativa], porque a gente estava lá olhando, eu moro no município e vejo a situação como é”, disse o parlamentar durante a entrevista.

O deputado lembrou, durante entrevista, do poderia econômico esnobado por Luciano e sua família no município, provavelmente incompatível com sua renda.

Ele disse que são vários postos de gasolina de aliados que, de acordo com a Polícia Federal, estariam participando do esquema, além de viagens de avião particular a todo momento e bens faraônicos na cidade e na capital.

 

Acostumado com baladas em conveniências, Luciano Genésio compra cesta básica em “postos de gasolina”

A Prefeitura de Pinheiro comprou quase um milhão de reais em cestas básicas para atender a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. A empresa vencedora foi a R.S.T. Abreu Eireli, de Renato Serra Trinta Abreu, ganhou licitação no valor de 970 mil reais.  

A administração do Prefeito Luciano Genésio, no entanto, já havia contratado com uma empresa que era uma farmácia e passou a ser um posto de gasolina. O proprietário do posto é Danilo Jorge Trinta Abreu Júnior, irmão de Renato.

Só nos dois últimos anos, a empresa R.S.T. Abreu Eireli já faturou R$ 12.578.195,09 com a venda de produtos alimentícios e material de higiene para a prefeitura de Pinheiro. Os dois irmãos, que tem aproximação com o irmão do prefeito, Lúcio André, têm faturado milhões na prefeitura de Pinheiro.