Artigo: Questão ambiental é prioridade

Por José Reinaldo Tavares

O mundo todo se preocupa muito com as mudanças climáticas que ameaçam a estabilidade ambiental do planeta e o modo como vivemos. Se houver continuidade na emissão para a atmosfera, de gases com efeito estufa, e chegarmos a um aumento da temperatura média do mundo em 2 graus, algumas regiões do mundo ficarão inóspitas para os seres humanos.

Os bancos de corais poderão morrer e, desta forma, diminuir muito a existência de cardumes de peixes. Os oceanos, com o derretimento das geleiras e glaciais, poderão aumentar seu volume e invadir as terras baixas, obrigando muitas cidades a terem que se modificar para fugir das águas.

As secas se tornarão constantes, prejudicando a agricultura, diminuindo a produção de alimentos e afetando a irrigação. A crise de energia fatalmente seria constante com os reservatórios secos.

A agricultura familiar, que sustenta muita gente, seria muito prejudicada, modificando e agravando a vida das comunidades mais pobres que vivem em casas precárias e se sustentam produzindo hortaliças e outros bens.

Os países desenvolvidos marcaram para novembro, na cidade escocesa de Glasgow, uma reunião muito importante com o objetivo de parar a emissão desses gases, onde reunirão delegações do mundo inteiro para deliberarem o que temos que fazer. As deliberações que serão tomadas nortearão o procedimento mundial para evitar catástrofes climáticas.

O efeito estufa é uma densa camada na atmosfera, formada com gases devido a emissões de carbono e metano, que impede as emissões produzidas pelo mundo e não consegue mais ir para a atmosfera, ficando bloqueadas, aumentando a temperatura média do mundo. Isso já vem acontecendo e está começando a causar muitos problemas como grandes tempestades, inundações, furacões, ciclones e perda dos glaciais eternos.

É preciso parar imediatamente.

O Brasil, ao permitir o desmatamento da Amazônia, libera grandes quantidades de gás carbono. A floresta não está mais funcionando como pulmão do mundo. Está, na verdade, poluindo o mundo. Esse desmatamento irresponsável tem que parar.

Os gases de efeito estufa são causados, principalmente, pelo uso de combustíveis fósseis como gasolina, diesel e carvão mineral que, com o uso em grandes quantidades, pelo mundo todo, estão causando tudo isso.

Esse problema tem remédio? Sim, tem.

Temos que parar de usar esses combustíveis e substituí-los por energia limpa, que não emite gás carbono para a atmosfera. Esse combustível pode ser fabricado aqui, por meio da decomposição química da água por um processo chamado eletrólise, usando energia limpa dos ventos ou do sol para isso. E, além disso, pode se tornar muito importante para criar muitos empregos. Essa energia poderemos vender para o mundo, com grande lucro e utilizar esses recursos para criar empregos, acabar com a pobreza e a desigualdade social, nosso grande flagelo.

Estamos estudando isso tudo isso em conjunto. Estão unidos com esse propósito a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), o Governo do Estado, os professores universitários, o Porto do Itaqui. Estamos avançando muito e já sabemos que poderemos produzir grandes quantidades de hidrogênio verde e fertilizantes. Estamos muito entusiasmados com o resultado dos nossos estudos. Pode ser a grande oportunidade de desenvolvimento econômico e social que nunca tivemos.