Igarapé Grande e outros 15 municípios da ‘farra ilimitada’ serão investigados pelo TCE

O Tribunal de Contas do Maranhão decidiu que vai fazer uma auditoria nas contas dos 16 municípios citados em uma reportagem da Revista Piauí, que denunciou um esquema de corrupção envolvendo recursos federais da saúde. Os primeiros alvos serão os municípios de Igarapé Grande, do prefeito Erlânio Xavier (PDT), e Boa Vista do Maranhão.

De acordo com o TCE, serão investigadas ações de aquisição de materiais hospitalares e contratação de serviços médicos e outros serviços de saúde.

Como destacado, Igarapé Grande e Boa Vista do Maranhão serão os primeiros do calendário e serão observados pontos como a quantidade de consultas feitas, exames, administração de medicamentos e outros. A gestão do prefeito Erlânio Xavier (PDT) foi denunciada por ter adulterado dados da quantidade de exames realizados para ter acesso a mais recursos da saúde.

Dados e informações sobre contratos da saúde e execução orçamentária das receitas e despesas desses municípios, referentes aos anos de 2020, 2021 e 2022 também serão auditados e de forma presencial.

Os outros 14 municípios a ser fiscalizados nessa etapa são: Afonso Cunha; Bernardo do Mearim, Vitorino Freire, Lima Campos, São Francisco do Maranhão, Lago dos Rodrigues, Tufilândia, Fernando Falcão, Bom Lugar, Junco do Maranhão, Tuntum, Pedreiras, Caxias e Santa Quitéria do Maranhão.

De R$ 32 mi de Orçamento Secreto, líder de Weverton em Caxias não mandou um centavo para o município

O Blog do Garrone publicou na manhã de hoje (29) uma matéria destacando que o suplente de deputado federal Paulo Marinho (PL), nativo da cidade de Caxias e principal aliado do senador Weverton Rocha (PDT), em pouco tempo no cargo, movimentou cerca de R$ 32,5 milhões do orçamento secreto.

Garrone analisa que o parlamentar subverteu a lógica das emendas, enquanto recursos destinados aos redutos eleitorais de quem as indica.

Segundo apurado pelo jornalista, Paulo Marinho Jr. não reservou um centavo sequer dos 32,5 milhões para Caxias, município que lhe deu 30.822 mil dos 55.755 mil votos registrados nas urnas de 2018.

De acordo com os relatórios de Indicações para Execução Orçamentária em RP9 – LOA (Lei Orçamentária Anual) 2022, o deputado caxiense distribuiu 21 emendas entre 14 municípios de pouquíssima ou quase nula densidade eleitoral.

Para Garrone, a briga política com o prefeito Fábio Gentil não seria motivos para que o suplente não direcionasse suas emendas à entidades ou organizações não governamentais comprometidas com a melhoria da qualidade de vida da população de Caxias.

Marinho ocupa hoje o cargo que pertence a Josimar Maranhãozinho (PL), suspeito de desviar dinheiro de emendas parlamentares, em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal.

A Folha de São Paulo publicou nesta quarta-feira (28) uma matéria em que destaca que nas investigações da Polícia Federal sobre suposta fraude em licitações da Codevasf no estado, aparecem a Joas Empreendimentos e Serviços, “cujo controle de fato também é atribuído ao parlamentar [Josimar Maranhãzinho] no STF”, repassando R$ 158 mil à empresa envolvida no esquema investigado.

A Joas, que tem por nome de fantasia TV Maranhão, prestou serviço de divulgação no gabinete de Maranhãozinho e continua prestando no de Paulo Marinho Jr.

 

 

Cadê o dinheiro? Com R$ 8 milhões do orçamento secreto, saúde de Bernardo do Mearim está um verdadeiro caos

O pequeno município de Bernardo do Mearim, comandada pelo prefeito Júnior Xavier (PDT), irmão do prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier (PDT), está entre as cidades que mais foram beneficiadas com recursos federais oriundos do orçamento secreto que deveriam ser destinados à saúde.

Uma reportagem da Revista Piauí destaca que o município recebeu mais de R$ 8 milhões do orçamento secreto este ano, no entanto, a saúde pública municipal segue sucateada, a exemplo das condições estruturais das unidades básicas de saúde.

Segundo a Piauí, em 2021, Bernardo do Mearim seguiu o exemplo da pioneira Igarapé Grande, e recebeu 10.000% a mais de recursos do (orçamento secreto) do que o enviado pelo SUS.

A revista destacou que em outubro de 2020, a prefeitura registrara 2 240 consultas especializadas. Nos dois últimos meses do ano, porém, já com Júnior Xavier eleito, as consultas dispararam para 235,6 mil, atingindo uma média exorbitante de 39 consultas por habitante no ano. Com isso, a prefeitura ampliou seu teto de gastos para 3 milhões de reais e, no ano seguinte, recebeu o teto. A parte mais significativa – 2,5 milhões – veio do orçamento secreto.

“Hoje nós temos ginecologista, mastologista, ortopedista, pediatra, fisioterapeuta, assistente social, fonoaudiólogo. Nós temos otorrino. Nós temos em torno de umas dezessete especialidades”, disse o secretário da Saúde, Francisco da Conceição Moraes, de 46 anos, na tarde de uma quinta-feira de junho.

No mesmo dia, a Piauí visitou o hospital municipal. Encontrou apenas um clínico geral. Por volta das 17 horas, a revista se preparava para visitar a Unidade Básica de Saúde quando foi informada de que as atividades já haviam sido encerradas. Com o exemplo de Igarapé Grande e Bernardo do Mearim, outras cidades maranhenses tomaram o mesmo caminho.

Em um trecho da reportagem, a revista informou que procurou todos os dezoito deputados, os três senadores do Maranhão e cinco exparlamentares que, em algum momento, exerceram mandato nesta legislatura, para perguntar quanto cada um mandou de verbas ao estado por meio do orçamento secreto. Dos 26 acionados, 21 não quiseram informar os dados ou não deram retorno. O senador Weverton Rocha (PDT) está entre eles.

Dino volta a criticar o orçamento secreto e diz que se chegar ao Senado irá lutar “pelo fim imediato dessa imoralidade”

O ex-governador do Maranhão e pré-candidato ao Senado Federal, Flavio Dino (PSB), voltou a criticar o orçamento secreto criado pelo Governo Federal.

Segundo informações, o Governo Bolsonaro liberou R$ 3,2 bilhões do orçamento secreto após prisão do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Sob pressão no Congresso, o Planalto já gastou R$ 5,8 bilhões do orçamento antes do prazo final da legislação eleitoral.

Dino destacou que, se chegar ao Senado Federal, irá acabar com o orçamento o qual considera imoralidade.

“Orçamento secreto tem que acabar. Isso é inconstitucional. Se tiver a honra de chegar ao Senado, por isso lutarei: pelo fim imediato dessa imoralidade”, publicou Flávio Dino.

Gil Cutrim e Cleber Verde estão entres os 10 parlamentares mais beneficiados com recursos do orçamento secreto

Os deputados do Republicanos, Cleber Verde e Gil Cutrim, receberam juntos quase R$ 50 milhões de emendas do orçamento secreto em 2022.

A informação é do jornal O Globo. Um levantamento indica que Cleber Verde foi beneficiado com R$ 26,3 milhões, enquanto Gil Cutrim com R$ 23 milhões.

Os dois políticos percorrem caminhos de vidas parecidos.  Antes de entrar na política, Cleber Verde era apenas um cidadão comum. Em pouco mais de 10 anos é um dos parlamentares mais ricos do Maranhão, com um patrimônio invejável que conta com imóveis avaliados em milhões de reais.

O deputado Gil Cutrim segue a mesma linha, somando, ainda, uma das piores gestões do município de São José de Ribamar.

Os dois deputados “bolsonaristas” são da base do senador Weverton Rocha (PDT), que é pré-candidato ao governo do Maranhão e tem se recusado a criticar o presidente Bolsonaro.

O orçamento secreto foi um instrumento criado pelo governo Bolsonaro por meio do qual parlamentares indicam como e onde o Executivo deve gastar parte de seu caixa.

Flávio Dino afirma que “orçamento secreto” é inconstitucional, ilegal e imoral

O ex-governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), voltou a fazer duras críticas sobre o “orçamento secreto”.

Para o ex-governador, o uso do recurso é inconstitucional, ilegal e imoral. “Se chegar ao Senado, lutarei pelo fim dessa invenção e jamais usarei dinheiro de “orçamento secreto”, disse Flávio Dino, pré-candidato ao Senado Federal.

Flávio Dino destacou que quase todos os dias há um escândalo sobre o “orçamento secreto” e espera que o “STF acabe imediatamente com essa indústria de fraudes”, concluiu.