PP, União, PT, Solidariedade, PCdoB e Podemos exibem propaganda partidária nesta semana

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) definiu que esta semana o Partido Progressistas (PP), o União Brasil (União), o Partido dos Trabalhadores (PT), o Solidariedade, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e o Partido Podemos (PODE) exibirão propaganda partidária gratuita em emissoras de rádio e televisão nacionais.

Na terça-feira, serão quatro inserções do PP, cinco do União e uma do PT exibidas em cadeia nacional. Na quinta-feira, serão veiculadas três inserções do Solidariedade, quatro do PP e três do União. No sábado, serão transmitidas três inserções do Solidariedade, três do PCdoB, três do PODE e uma do PP.

Divisão do tempo

O desempenho de cada partido nas últimas eleições para a Câmara dos Deputados, realizadas em 2018, foi o critério utilizado pela Justiça Eleitoral para definir o tempo de propaganda destinado às legendas.

A finalidade da propaganda partidária é divulgar a ideologia, os programas, os projetos, as propostas, os posicionamentos e as mensagens dos partidos políticos, bem como incentivar a filiação partidária e promover a participação política das minorias, entre outros pontos.

É proibido utilizar o espaço destinado à propaganda partidária para promover pré-candidaturas a uma eleição.

Medo dos evangélicos fez Weverton Rocha retirar assinatura da CPI do MEC

O Jornal o Globo publicou na manhã de hoje (12) um levantamento em que afirma que o PDT do senador Weverton Rocha, foi o terceiro partido mais beneficiado com verbas do FNDE em 2021 e 2022, perdendo somente para o PL e o PP.

Recentemente, Weverton Rocha respondeu sem clareza o porquê da retirada do seu nome do requerimento para a abertura da CPI do Ministério da Educação (MEC).

“Até onde eu saiba, não tem assinatura nenhuma ainda lançada no sistema. O que havia era a intenção de fazer. Não se pode falar em retirar o que não está colocado”, disse o senador.

Ainda segundo o Globo, o ministro Ciro Nogueira transmitiu pessoalmente os pedidos de Bolsonaro ao senador maranhense, e em tom de ameaça, o Palácio do Planalto deixou claro que “os que assinaram o pedido de investigação serão alvos da fúria evangélica durante a campanha eleitoral”.

Na segunda-feira (11), o Globo questionou Weverton Rocha a respeito do pedido de Bolsonaro transmitido pelos pastores, o senador fugiu, deixando a reportagem sem resposta.