Vereador ligado a Weverton vai defender Braide e ataca colegas vereadores

O vereador Raimundo Penha (PDT), egresso dos movimentos estudantis e com a mesma pecha de enrolado do seu líder, Weverton Rocha (PDT), destilou todo seu veneno contra os colegas parlamentares que protestaram na reabertura dos trabalhos da Câmara Municipal de São Luís, no último dia 1º, contra a falta de habilidade política e inoperância do prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos).

Apenas 10 vereadores participaram do ato solene. Protocolarmente, o prefeito ocupante do Palácio de La Ravardière sempre participa desse momento. Desta vez, o Executivo foi representado pela vice-prefeira, Esmênia Miranda. Com medo de enfrentar professores que protestaram nesse dia, na Câmara, Braide optou por quebrar o protocolo e não compareceu à sessão.

Na entrevista à TV Mirante hoje pela manhã, Penha debochou do protesto dos colegas e afirmou que teve vereador que viajou a turismo no dia da reabertura dos trabalhos, sugerindo que “assim é fácil fazer protesto”.

Até onde se sabe, no entanto, os parlamentares que protestaram estavam todos num café da manhã organizado pelo vereador Paulo Victor (PCdoB). Cabe agora ao vereadora declinar o nome do turista.

Façam suas apostas!

Que safra! Prefeitos da Ilha enfrentam protestos e demonstram incapacidade de diálogo

Os dois prefeitos das duas maiores cidades da Ilha, São Luís e São José de Ribamar, enfrentam desde ontem (02) problemas com os professores das suas respectivas redes de ensino. As duas categorias cobram reajuste salarial, progressão, entre outros itens do calendário relativo à data-base.

Tanto o prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos) como o de Ribamar, Julinho Matos (PL) dificultam o diálogo com os educadores.

“Tivemos outros momentos com outros prefeitos que aqui já estiveram. Eles sempre respeitaram essa categoria, nos recebendo para dialogar, pois entendemos que com o diálogo podemos conversar e entrar num acordo em prol dos direitos dessa categoria e da classe trabalhadora”, disse uma professora reclamando da dificuldade que estava encontrando em Ribamar (veja no vídeo acima).

Já em São Luís, o prefeito Eduardo Braide, que tem enfrentado protestos de manhã de tarde e de noite, de várias categorias de traballhadores, evitou ir à abertura dos trabalhos legislativos para não se encontrar com os professores, que desde ontem passaram a ir para a sede da Câmara Municipal da capital pedir apoio dos vereaodores para suas pautas.

Lamentável.