EUA discutirão com a Rússia possível troca de prisioneiros que inclua Brittney Griner

O governo dos Estados Unidos discutirá com a Rússia sobre uma troca de prisioneiros que inclua a estrela do basquete Brittney Griner, afirmou nesta sexta-feira (5) o secretário de Estado, Antony Blinken.

Um tribunal russo condenou na quinta-feira a jogadora americana de basquete a nove anos de prisão por tráfico de drogas.

“O ministro das Relações Exteriores (da Rússia, Serguei) Lavrov afirmou esta manhã (…) que estão dispostos a participar em uma troca de presos. E vamos buscar isto”, disse Blinken durante uma reunião com chanceleres de países do sudeste asiático no Camboja.

A prisão e a sentença contra Griner, condenada na quinta-feira (5) a nove anos de prisão, ressaltaram o “uso de detenções ilícitas por parte de Moscou para promover sua própria agenda”, acrescentou Blinken, que criticou o uso de “indivíduos como peões políticos”.

Em uma entrevista coletiva no Camboja, Lavrov declarou que a Rússia está disposta a “discutir o tema, mas apenas no âmbito do canal (de comunicação) que foi estabelecido pelos presidentes (Vladimir) Putin e (Joe) Biden”.

“Há um canal especial acordado pelos presidentes e, apesar de algumas declarações públicas, segue funcionando”, acrescentou Lavrov.

EUA envia armamentos poderosos para Ucrânia se proteger da Rússia

O porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov, acusou o governo dos Estados Unidos de distanciar um acordo de paz após o anúncio da entrega de mísseis americanos à Ucrânia, para responder à ofensiva russa.

“Nós acreditamos que os Estados Unidos jogam lenha na fogueira de maneira deliberada (…) As entregas (de armas) não encorajam as autoridades ucranianas a retomar as negociações de paz”, disse o porta-voz.

Peskov também falou sobre a utilização de tais armas. Segundo ele, a Rússia não confia plenamente na Ucrânia quanto ao uso dos mísseis.

Os EUA disseram que os armamentos enviados são apenas para defesa interna e que não têm potencial para atingir o território russo.

Finlândia anuncia que vai se juntar a Otan

A Finlândia declarou que vai quebrar a neutralidade e ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O anúncio foi feito pelo presidente Sauli Niinisto e a primeira-dama Sanna Marin neste domingo (15), durante entrevista coletiva no Palácio Presidencial, em Helsinque.

Com a decisão, a Finlândia deve se juntar a aliança militar ocidental de 30 membros que se expande em meio a guerra da Rússia na Ucrânia. “Este é um dia histórico. Uma nova era começa”, disse Niinisto.

O parlamento finlandês deve decidir se aprova a decisão nos próximos dias. Porém, essa aprovação é considerada uma formalidade.

Primeiro-ministro britânico surpreende o mundo e se reúne com Zelensky, na Ucrânia

Em uma visita surpresa, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, se reuniu com o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, neste sábado (09) em Kiev.

O porta-voz do governo britânico informou que a reunião teve como objetivo reforçar o apoio de longo prazo do Reino Unido à Ucrânia e Johnson ofereceu um novo pacote de ajuda financeira e militar aos ucranianos.

O Ministério da Defesa da Ucrânia elogiou Boris Johnson por ser o primeiro líder do G7 a visitar o país desde o início da invasão, em 24 de fevereiro.