EUA envia armamentos poderosos para Ucrânia se proteger da Rússia

O porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov, acusou o governo dos Estados Unidos de distanciar um acordo de paz após o anúncio da entrega de mísseis americanos à Ucrânia, para responder à ofensiva russa.

“Nós acreditamos que os Estados Unidos jogam lenha na fogueira de maneira deliberada (…) As entregas (de armas) não encorajam as autoridades ucranianas a retomar as negociações de paz”, disse o porta-voz.

Peskov também falou sobre a utilização de tais armas. Segundo ele, a Rússia não confia plenamente na Ucrânia quanto ao uso dos mísseis.

Os EUA disseram que os armamentos enviados são apenas para defesa interna e que não têm potencial para atingir o território russo.

Pressionado, Arthur do Val renuncia ao cargo de deputado estadual

O deputado Arthur do Val (União Brasil) não segurou a pressão e renunciou hoje (20) ao cargo de deputado estadual, após o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovar, por unanimidade, o processo que poderia gerar a cassação do seu mandato.

Arthur é alvo no colegiado de 21 representações pedindo a sua cassação por quebra de decoro parlamentar, por frases sexistas contra mulheres refugiadas ucranianas.

Segundo a Lei de Ficha Limpa, mesmo deixando o cargo, se o processo de cassação dele for aprovado no plenário da Alesp, ele pode ficar inelegível por oito anos.

Rússia alerta EUA e aliados sobre “consequências imprevisíveis” se seguirem enviando armas para Ucrânia

A Rússia emitiu um comunicado informando que se os Estados Unidos e aliados continuarem a enviar armas para Ucrânia, haverá consequências imprevisíveis para a segurança regional e internacional.

De acordo com informações, uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores confirmou que a Rússia enviou notas diplomáticas aos EUA e outros países sobre o fornecimento de armas para a Ucrânia. O que a Rússia considera como: “militarização irresponsável da Ucrânia”.

Primeiro-ministro britânico surpreende o mundo e se reúne com Zelensky, na Ucrânia

Em uma visita surpresa, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, se reuniu com o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, neste sábado (09) em Kiev.

O porta-voz do governo britânico informou que a reunião teve como objetivo reforçar o apoio de longo prazo do Reino Unido à Ucrânia e Johnson ofereceu um novo pacote de ajuda financeira e militar aos ucranianos.

O Ministério da Defesa da Ucrânia elogiou Boris Johnson por ser o primeiro líder do G7 a visitar o país desde o início da invasão, em 24 de fevereiro.