Até Lahesio já deixou foguete de Weverton comendo poeira; Pedetista fica em 3° na espontânea

O candidato do PSC, Lahesio Bonfim, inicia a sua campanha em segundo lugar em intenções de votos na consulta espontânea da pesquisa Band/Data Ilha para o Governo do Maranhão.

O resultado já era esperado e temido pela equipe do senador Weverton Rocha, do PDT. Durante a pesquisa, quando questionados em quem votariam sem que lhes fossem apresentadas uma lista de candidatos, 9,7% dos entrevistados responderam a ser a favor de Lahesio Bonfim, enquanto 5,7% no pedetista, no limite da margem de erro.

Ainda na tarde de ontem (15), blogs ligados ao senador Weverton dispararam vários ataques à campanha do ex-prefeito de São Pedro dos Crentes.

O Instituto Data Ilha realizou 2.031 entrevistas entre os dias 10 e 13 agosto. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 2,17 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número MA-05654/2022.

Pesquisa Band/Data Ilha: Brandão vence em todos os cenários; Lahesio e Weverton estão tecnicamente empatados

O governador Carlos Brandão (PSB) candidato à reeleição ao Governo do Maranhão, mantém a liderança da corrida eleitoral de 2022 com 35% das intenções de votos. No cenário (quando se exclui nulos e indecisos), o socialista ainda abriu 12 pontos de vantagens para o segundo colocado, o senador Weverton Rocha (PDT) que ficou nos 23,7%.

Apesar na segunda colocação, o pedetista aparece tecnicamente empatado com Lahésio Bonfim (PSC) que avançou para 21,4% das intenções de votos.

Edivaldo Holanda Júnior (PSD) segue na quarta colocação com 12,8%, seguido por Simplício Araújo (Solidariedade), com 2,6%; Hertz Dias (PSTU) – 1,2%; Enilton Rodrigues (PSOL) – 0,9%; Frankle Costa (PCB) – 0,8%; e Professor Joas Moraes (DC) – 0,6%.

No cenário estimulado (mantido nulos e indecisos), Carlos Brandão apareceu com 27,4%; Weverton Rocha 18,1%; Lahésio Bonfim se aproximando cada vez mais com 16,3% e Edivaldo Holanda Júnior com 9,7%.

A pesquisa Band/Data Ilha também mediu a intenção espontânea dos entrevistados, quando não é apresentado nome de nenhum candidato.

Nesse cenário: Carlos Brandão ficou com 10,7%; Lahesio Bonfim 9,7%; Weverton Rocha 5,7%; outros 3,4%; Edivaldo 1,1%; Branco/Nulo 3,6%; e NS/NR 65,8%.

O Instituto Data Ilha realizou 2.031 entrevistas entre os dias 10 e 13 agosto. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de 2,17 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número MA-05654/2022.

 

MOB desmente Fake News sobre problemas com a embarcação Baía de São Marcos

A Agência de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos- MOB emitiu uma nota sobre uma Fake News publicada em Blogs ligados ao Senador Weverton Rocha (PDT), que há tempos tenta politizar os serviços de ferryboat na Baía de São Marcos que fazem travessia entre São Luís e a Baixada Maranhense.

Na nota, a MOB esclareceu que a embarcação Baía de São Marcos não foi rebocada e que devido a maré baixa, o comandante da embarcação optou em parar a embarcação para que ela não viesse a encalhar.

Acompanhe a Nota:

A Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos- MOB esclarece que a embarcação Baía de São Marcos não foi rebocada por nenhum outro ferryboat nesta quinta-feira (11).

A embarcação Baía de São Marcos estava de saída do Terminal do Cujupe com destino ao terminal da Ponta da Espera, quando o comandante da embarcação notou um “morro de areia”, devido a maré estar baixa (condições climáticas normais para o período de agosto e setembro). Diante das circunstâncias, o comandante da embarcação optou por parar a embarcação por volta de 10 a 15 minutos, a fim de que a mesma não viesse sofrer o encalhe.

No decorrer desta paralisação, o ferryboat Cidade de Alcântara que também vinha no mesmo percurso, passou pela frente do ferry Baía de São Marcos, evitando que também encalhasse e seguiu a viagem normalmente sem nenhuma interferência no percurso.

 

Oposição criada por Weverton, Roberto Rocha e Bolsonaro já esperam por surra nas urnas maranhenses

Analistas políticos avaliam a situação desconfortável em que se encontra a suposta “frente ampla” formada pelos senadores Weverton Rocha (PDT) e Roberto Rocha (PTB), sob o comando do atual presidente da República Jair Bolsonaro (PL).

Segundo os analistas, para o Governo do Estado, o grupo de Weverton Rocha teme que o senador não consiga se livrar das ameaças do candidato do PSC, Lahesio Bonfim e torcem para que o pedetista ganhe folego para chegar ao segundo turno com o governador Carlos Brandão (PSB), que na avaliação geral tem vaga garantida na segunda rodada.

Já em relação ao senador Roberto Rocha, a situação é muito mais complicada e sua base não acredita que o petebista alcance o ex-governador Flávio Dino (PSB) que nas pesquisas eleitorais tem se distanciado ainda mais dos seus adversários.

Como se não bastasse, para Presidência da Republica, os aliados de Jair Bolsonaro já esperam que o presidente seja “surrado” nas urnas por Lula (PT), no Maranhão.

Campanha de Lahesio amedronta apoiadores de Weverton Rocha

Os apoiadores do senador Weverton Rocha (PDT) iniciaram fortes ataques à campanha do candidato do PSC, Lahesio Bonfim.

O crescimento de Bonfim nas pesquisas eleitorais tem assustado os pedetistas que começaram a disparar ataques violentos contra o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes.

O primeiro ataque está relacionado a uma denúncia de que Bonfim estaria fretando “jatinhos” para viajar pelos municípios maranhenses.

Os pedetistas alegam contradição na fala de Lahesio, já que ele prolifera pelos quatro cantos que não tem dinheiro para sua campanha eleitoral.

Ainda segundo os pedetistas, uma denúncia grave mostra por meio de um vídeo, que, supostamente, um grupo de pessoas estaria recebendo dinheiro de Lahesio Bonfim.

Analistas da política maranhense avaliam que essa estratégia “é uma faca de dois gumes, que pode prejudicar o atacado, mas pode ferir também o atacante”.

Milionário, Weverton Rocha mais do que dobra patrimônio entre 2014 e 2022

O senador Weverton Rocha (PDT) declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que seus bens totalizam R$4.247.977,00.

Um avanço de quase R$ 4 milhões se comparado a sua primeira declaração ao TSE em 2014, quando disputou a vaga de deputado federal e afirmou possuir R$325.760,07.

Durante o mandato na Câmara Federal, o salário mensal de Weverton Rocha era de R$ 33.763,00. No entanto, em 2018 quando disputou as eleições para o Senador Federal, o parlamentar declarou que seus bens contabilizavam R$2.468.312,29.

Entre os bens declarados, destaca-se um apartamento de R$ 1,2 milhão e uma embarcação de R$138 mil.

Quatro anos após, o senador Weverton Rocha volta a declarar seus bens ao TSE e afirma que a sua estadia no Senado Federal lhe redeu cerca de R$ 2 milhões.

O apartamento do senador também evoluiu e está avaliado em R$ 1,5 milhão e agora possui uma casa no valor de R$1.050.000,00.

O senador espera aprovação da sua declaração de bens.

Veja:

Declaração 2014

Declaração 2018

Declaração 2022

Lula descarta proximidade com Weverton Rocha e dividirá palco com Carlos Brandão

Durante a convenção do PSB no Maranhão, neste último sábado (30), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mandou uma mensagem de apoio à candidatura da reeleição do governador Carlos Brandão (PSB).

A fala de Lula reafirma a confiança e o compromisso que o ex-presidente tem com a frente democrática que luta por um país mais justo para todos.

“E é com muito carinho, com muita felicidade, que vejo a indicação do Brandão como governador e do Felipe como vice”, diz trecho da mensagem de Lula.

Na mensagem, Lula ainda destacou que é imprescindível que o Maranhão eleja Flávio Dino (PSB) para o Senado Federal e que durante o período de campanha dividirá o palco com Carlos Brandão em busca da vitória nas eleições.

Apesar dos milhões gastos, convenção de Weverton não conseguiu lotar o Nhozinho Santos

Nem mesmo os possíveis valores oferecidos para muitos que quisessem ir à convenção que homologou a candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) foi o suficiente para lotar as arquibancadas do estádio Nhozinho Santos que, de fato, teve seu gramado ocupado por uma quatidade de gente expressiva na tarde-noite desta sexta-feira (29).

Organizadores esperavam explodir a capacidade do Nhozinho Santos, falando em 60 mil pessoas presentes.

Quem olha as imagens, percebe realmente um público numeroso, porém, bem longe dos 60 mil esperados e muito menos do que o que dizem ter tido os mais entusiamados militantes, quando falam num público estimado em 40 mil.

No vídeo acima, é possível ver arquibancadas vazias enquanto o senador falava, no chamado momento ápice do evento.

Mas no gramado, explodiu de gente e de estrago da grama, impedindo jogos na praça pelos próximos dias.

De R$ 32 mi de Orçamento Secreto, líder de Weverton em Caxias não mandou um centavo para o município

O Blog do Garrone publicou na manhã de hoje (29) uma matéria destacando que o suplente de deputado federal Paulo Marinho (PL), nativo da cidade de Caxias e principal aliado do senador Weverton Rocha (PDT), em pouco tempo no cargo, movimentou cerca de R$ 32,5 milhões do orçamento secreto.

Garrone analisa que o parlamentar subverteu a lógica das emendas, enquanto recursos destinados aos redutos eleitorais de quem as indica.

Segundo apurado pelo jornalista, Paulo Marinho Jr. não reservou um centavo sequer dos 32,5 milhões para Caxias, município que lhe deu 30.822 mil dos 55.755 mil votos registrados nas urnas de 2018.

De acordo com os relatórios de Indicações para Execução Orçamentária em RP9 – LOA (Lei Orçamentária Anual) 2022, o deputado caxiense distribuiu 21 emendas entre 14 municípios de pouquíssima ou quase nula densidade eleitoral.

Para Garrone, a briga política com o prefeito Fábio Gentil não seria motivos para que o suplente não direcionasse suas emendas à entidades ou organizações não governamentais comprometidas com a melhoria da qualidade de vida da população de Caxias.

Marinho ocupa hoje o cargo que pertence a Josimar Maranhãozinho (PL), suspeito de desviar dinheiro de emendas parlamentares, em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal.

A Folha de São Paulo publicou nesta quarta-feira (28) uma matéria em que destaca que nas investigações da Polícia Federal sobre suposta fraude em licitações da Codevasf no estado, aparecem a Joas Empreendimentos e Serviços, “cujo controle de fato também é atribuído ao parlamentar [Josimar Maranhãzinho] no STF”, repassando R$ 158 mil à empresa envolvida no esquema investigado.

A Joas, que tem por nome de fantasia TV Maranhão, prestou serviço de divulgação no gabinete de Maranhãozinho e continua prestando no de Paulo Marinho Jr.

 

 

Jatinho de Weverton Rocha não possui autorização para táxi aéreo e é alvo de busca e apreensão

O jatinho usado pelo senador Weverton Rocha (PDT) não tem autorização para táxi aéreo e está sendo alvo de busca e apreensão.

Segundo o sistema da ANAC, a aeronave é de propriedade da Sane Participações e Investimentos Ltda, fabricada pela Cessna Aircaraft em 2001 e o status da operação está negada para taxi aéreo.

O transporte irregular é conhecido popularmente como “taca” e, por ser clandestino, não precisa contratar seguro para o casco e os passageiros, e não segue as normas técnicas e de documentação exigidas pelas autoridades. Assim, acaba sendo muitas vezes mais de 50% mais barato do que um táxi-aéreo regular e autorizado.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Táxis Aéreos, Jorge Bittar, “os pilotos dos táxis piratas normalmente são “freelancers” e fazem conferência quanto à aptidão para pilotar a cada dois anos, por modelo amplo e genérico da aeronave, não sendo exigido a eles regras tão duras quanto aos que operam de forma regular e séria com o transporte de pessoas”.

Denúncias sobre taxi aéreo clandestino devem ser encaminhado ao Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Federal para apuração, já que táxi-aéreo pirata é uma infração ao Código Brasileiro de Aeronáutica e pode configurar crime, pois coloca em risco vidas de pessoas a bordo e em solo.